domingo, 25 de setembro de 2016

GILBERT BÉCAUD

Gilbert Bécaud, cujo verdadeiro nome era François Gilbert Silly Leopold, nasceu em Toulon em 24 de outubro de 1927. Assim como sua mãe musicista, ele integrou o Conservatório de Nice com a idade de nove anos.
Em 1942 a família mudou-se para Paris e, em seguida, segue-se o curso de um grande músico. A guerra terminou, o jovem François pôde dedicar-se a sua arte.
Adotou o nome de seu pai: Bécaud.

Em 1950, cumpre o seu primeiro sucesso em co-escrever canções para Edith Piaf (Je t'ai na pele). Três anos mais tarde ele gravou suas primeiras canções e celebrou o nascimento de seu primeiro filho (ele teve cinco filhos: Gaya, Philippe, Anne, Emily e Jennifer).
Gilbert foi cantor, compositor e ator francês, conhecido como Monsieur 100,000 Volts pelos seus espectáculos cheios de energia.
Autor de mais de 400 músicas, muitas de sucesso internacional - o principal deles foi a desesperada canção "Et Maintenant", que Frank Sinatra e Barbra Streisand gravaram, em inglês, com o nome de "What now My Love".
Outros números brilhantes de seu repertório - sempre de canções desesperadas eram "Nathalie", "L'Important C'Est la Rose", "Au Revoir", "Je Reviens te Chercher",
"Quand Il Est Mort le Poete".
A valsa "Bateau Blanc", delicada, é muito citada em filmes comerciais, como música incidental em trilhas sonoras cinematográficas, nem sempre com crédito para o autor.
Nascido em Toulon, no dia 27 de outubro de 1927, criado em Nice, estudou música desde a infância.
Cursou o Conservatório de Nice e tinha 19 anos quando começou carreira profissional, como pianista.

Talvez um exagero. Bécaud fez de tudo em música, inclusive trilhas para teatro e cinema, mas seu grande êxito foi na canção popular. Seja como for, para ela levou a teatralidade característica da ópera.
Havia quem o considerasse exagerado, de um comportamento teatral calculado para emocionar as platéias - que adoram, no mundo inteiro, comportamentos exóticos.

O jornalista e compositor Nelson Motta escreveu, numa das vezes em que Bécaud esteve aqui, nos anos 70, que estava chegando ao País o mais execrável representante
da cafonália.
O cantor, pianista e compositor francês Gilbert Bécaud morreu em 2001, aos 74 anos, vítima de um câncer no pulmão.


Nenhum comentário:

Postar um comentário