domingo, 29 de junho de 2014

SYLVINHA ARAÚJO

Sílvia Maria Vieira Peixoto Araújo (Mariana, 16 de setembro de 1951 — São Paulo, 25 de junho de 2008), mais conhecida como Sylvinha Araújo, foi uma cantora e compositora brasileira.

Sylvinha começou sua carreira na década de 1960, lançada por Chacrinha.1 Na época, apresentou o programa O Bom, com Eduardo Araújo, com quem se casaria (em 1969) e teria dois filhos.
Em 1967 gravou seu primeiro disco, o compacto Feitiço de broto.2 Entre suas composições de maior sucesso, está "Minha primeira desilusão".
O crítico e produtor musical Nelson Motta chegou a chamá-la de Janis Joplin brasileira, após a versão soul que imprimiu à canção "Paraíba", de Luiz Gonzaga.1 Chegou a vender mais de um milhão de discos na carreira.3 No final da década de 1970, passou gravar jingles publicitários, e gravou mais de 2 mil.
Entre os anos 1970 e 80 ela foi jurada de calouros no programa dominical de Silvio Santos.3 Nos anos 90, fez parte do quarteto vocal 4x4 ao lado de Edgard Gianullo, Angela Márcia e Faud Salomão. Apadrinhados por João Gilberto se apresentaram no prêmio Sharp de música, no programa especial Jazz Brasil da TV Cultura e com Edu Lobo gravaram a música "Trava Língua" para trilha sonora do programa Castelo Rátimbum. Em 1997 o grupo se dissolveu
Em 2000, passou a se dedicar à gravadora Number One (sua e do marido). Em 2001, lançou o álbum Suave É a Noite. Em 2007, lançou um DVD comemorativo dos 40 anos da Jovem Guarda, e vinha trabalhando na divulgação desse trabalho.
Quando morreu, estava internada havia 21 dias no Hospital 9 de Julho, em decorrência de complicações do câncer de mama contra o qual lutou por 12 anos. Foi enterrada em Itapecerica da Serra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário