quarta-feira, 30 de outubro de 2013

A ERA "HIPPIES"

Os hippies foram parte do movimento de contracultura dos anos 1960. Embora tendo uma relativa queda de popularidade nos anos 1970 nos Estados Unidos, o movimento apenas ganhou mais força em países como o Brasil somente a partir dessa década. Uma das frases associadas a este movimento foi a célebre máxima "paz e amor" (em inglês, "peace and love"), que precedeu a expressão "ban the bomb" ("proíbam a bomba"), a qual criticava o uso de armas nucleares. As questões ambientais, a prática de nudismo e a emancipação sexual eram ideias respeitadas recorrentemente por estas comunidades.
Adotavam um modo de vida comunitário , tendendo a uma espécie de socialismo libertário, a um estilo de vida nômade e à vida em comunhão com a natureza. Negavam o nacionalismo e a Guerra do Vietnã, bem como todas as guerras . Abraçavam aspectos de religiões orientais como o budismo e o hinduísmo e das religiões das culturas nativas norte-americanas. Estavam em desacordo com valores tradicionais da classe média americana e das economias capitalistas. Enxergavam o patriarcalismo, o militarismo, o poder governamental, as corporações industriais, a massificação, o capitalismo, o autoritarismo e os valores sociais tradicionais como parte de uma instituição única sem legitimidade.
Por volta de 1970, muito do estilo hippie se tornou parte da cultura principal, disseminando a sua essência por todas as áreas das sociedades atuais. A liberdade sexual, a não discriminação das minorias, o ambientalismo e o misticismo atual são, em larga medida, produto da contestação hippie.
No entanto, a grande imprensa perdeu seu interesse na subcultura hippie, apesar de muitos hippies terem continuado a manter uma profunda ligação com a mesma.

Como os hippies tenderam a evitar publicidade após a era do Verão do Amor e de Woodstock, surgiu um mito popular de que o movimento hippie não mais existia. No entanto, ele continuou a existir em comunidades mundo afora, como andarilhos que acompanhavam suas bandas preferidas, ou às vezes nos interstícios da economia global. Ainda hoje, muitos se encontram em festivais e encontros para celebrar a vida e o amor, como no Peace Fest e nas reuniões da família arco-íris

No Brasil, existem algumas comunidades hippies espalhadas por praias e comunidades alternativas. Neste contexto, destacam-se a cidade mineira de São Tomé das Letras, o vilarejo Trindade em Parati, no Rio de Janeiro, Pirenópolis em Goiás, Trancoso e Arembepe na Bahia etc. No cenário musical, destacam-se o cantor Raul Seixas e a banda Mutantes, que fizeram grande sucesso nos anos 1960 e 1970 e que têm milhares de fãs ainda hoje. Na cena musical contemporânea, destaca-se o cantor Ventania, marcante referência de São Tomé das Letras, Minas Gerais. Ventania tem, em seu repertório, inúmeras obras que falam desde do livre pensar ao desapego material, cultuando a natureza e os ideais hippies. Há, ainda, inúmeros festivais Brasil afora, como o Festival Psicodália, que se realiza anualmente no sul do Brasil, normalmente em Santa Catarina, e que reúne mais de 5 000 pessoas por edição.

domingo, 27 de outubro de 2013

PETER FRAMPTON

Peter Frampton (Beckenham, Kent, 22 de abril de 1950) é um músico britânico mais conhecido por seu trabalho solo nos anos 70 como roqueiro de arena (Album-oriented rock).

Ele tornou-se famoso, entretanto, como integrante do The Herd quando se transformou num ídolo das adolescentes na Grã-Bretanha. Frampton ficou famoso por ser o primeiro guitarrista a utilizar do recurso da guitarra falada, que seria anos depois imitado por Slash (Guns n' Roses), Richie Sambora (Bon Jovi) e Dave Grohl (Foo Fighters). Ele então passou a trabalhar com Steve Marriott (dos The Small Faces) na banda Humble Pie, assim como em álbuns de Harry Nilsson, Jerry Lee Lewis e George Harrison. Sua estreia solo foi em 1972 com Wind of Change.
A explosão solo de Frampton veio com Frampton Comes Alive, seis vezes platina e que incluía os sucessos "Do You Feel Like We Do", "Baby, I Love Your Way" e "Show Me the Way".

Foi o álbum "ao vivo" mais vendido de todos os tempos. Depois que o álbum seguinte I'm in You foi lançado, Frampton envolveu-se em um sério acidente de carro nas Bahamas. Enquanto se recuperava, ele atuou em 1978, com os Bee Gees, no filme Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band, um fracasso retumbante. Nos anos 80, Frampton voltou a gravar, mas só retornou às paradas de sucesso mundiais com "Breaking all the rules". Seu último álbum é Thank You Mr. Churchill, lançado em 2010.
Depois do atentado ao World Trade Center em Nova Iorque, Frampton decidiu tornar-se um cidadão americano. Ele teve papel ativo na campanha eleitoral de 2004 do candidato John Kerry. Recentemente Peter Frampton ganhou o seu primeiro Grammy pelo seu álbum totalmente instrumental "Fingerprints", lançado no fim de 2007 que conta com integrantes do Pearl Jam, Rolling Stones, Allman Brothers Band e outros.


quinta-feira, 24 de outubro de 2013

JAMES DEAN


James Byron Dean (Marion, Indiana, 8 de Fevereiro de 1931 — Cholame, Califórnia, 30 de Setembro de 1955) foi um ator norte americano. É considerado um ícone cultural, como a melhor personificação da rebeldia e angústias próprias da juventude da década de 1950.

James Byron Dean era filho único e seu nome foi uma homenagem da mãe ao poeta inglês Lord Byron. Filho de Wilton Dean, um protético, e de Mildred Dean, filha de fazendeiros metodistas, aos 8 anos ele já tocava violino e fazia aulas de sapateado. Em 1940, perdeu a mãe vítima de câncer. Com a morte da mãe, foi morar com os tios Marcus e Ortence Winslow em Fairmount. Considerado uma criança introspectiva, Jimmy, como era chamado, cresceu na fazenda de 300 acres dos tios, ali aprendeu a dirigir trator e ordenhar vacas. Aos 14 anos, já participava do teatro escolar e aos 17 anos ganhou sua primeira moto, uma Triumph, presente do tio Marcus.
Em 1949, Dean foi para Los Angeles, com a intenção de estudar arte dramática e morar com o pai e a madrasta. Ganhou dele um Chevrolet de segunda mão. Abandonou a faculdade e foi para Nova York cursar o lendário Actor's Studio de Lee Strasberg. Para se manter em Nova York, trabalhou como garçom e cobrador de ônibus. Nesta mesma época conheceu Jane Deacy, que se tornou sua agente.
Em 1951 fez sua estreia no cinema num pequeno papel não creditado do filme Fixed Bayonets!. Em 1952, começou a fazer pequenas pontas na TV. Em 1953, encenou na Broadway a peça de Richard Wash "See the Jaguar". A peça foi um fracasso, mas James Dean chamou a atenção da critica. Encenou a Peça "O Imoralista", baseada na obra de André Gide, interpretando um homossexual. Com a peça ganhou o Tony Award de melhor ator do ano.
Em 1954, para estrelar o filme de Elia Kazan, "A Leste do Éden" (Vidas Amargas, Brasil), baseado na obra de John Steinbeck, em que interpretava um jovem solidário e amargurado, teve que assinar um contrato com uma cláusula em que se comprometia a não dirigir carros de corrida durante as filmagens.
Enquanto James Dean era uma promessa, Marlon Brando já era um astro. As comparações eram inevitáveis. James Dean conheceu Brando no set de filmagem de "Desirée", decepcionou-se com seu ídolo graças a um comentário feito por Brando sobre as roupas do jovem ator. Ele usava calças jeans surradas e camisa de botão.
Em 1954, conheceu a jovem estrela de O Cálice Sagrado, Pier Angeli, para muitos o grande amor de sua vida, mas a mãe de Pier foi contra o relacionamento, pelo fato de ele não ser católico. Jimmy já era conhecido por seu temperamento difícil. O rompimento do namoro abalou o ator. Ao saber que a ex-namorada estava de casamento marcado com o cantor Vic Damone, apareceu na porta da Igreja Católica de São Timóteo e conseguiu chamar a atenção dos noivos, "arrancando" com a moto em alta velocidade. Só encontraria Pier quase um ano mais tarde nas filmagens de Assim caminha a Humanidade.

Durante as gravações de Assim caminha a Humanidade, Dean circulava com uma loura exuberante, Ursula Andress, que se tornaria a primeira Bond Girl. Ela disse que ele era "como um animal selvagem". Fora dos sets de filmagem, era conhecido por uma agitada vida social, fumava e bebia, e possuía um enorme fascínio por carros velozes e pela velocidade em si - paixão que lhe custou a vida.


Morte

Quando se dirigia para uma corrida, em 30 de Setembro de 1955, envolveu-se num acidente fatal, partindo imediatamente a coluna vertebral e sofrendo de hemorragias internas. Quando foi colocado na ambulância, o passageiro que estava a seu lado, o mecânico Rolf Wütherich, ouviu "um grito suave emitido por Jimmy - a lamúria de um menino chamando sua mãe ou de um homem encarando Deus."
No dia em que morreu, James Dean ainda esgotava ingressos com o seu primeiro filme. A consagração final chegou poucos dias após a sua morte, quando Juventude transviada chegou aos cinemas. Recebeu duas indicações ao Oscar, postumamente. Em 1956, por Vidas Amargas (a primeira indicação póstuma na história da premiação), e em 1957, por Assim caminha a humanidade, ambas por melhor ator. Ganhou dois prêmios do Globo de Ouro, em 1956 como melhor ator e, no ano seguinte, num prêmio especial que o consagrou como ator favorito do público.


domingo, 20 de outubro de 2013

PAUL MCCARTNEY & WINGS

Wings (também conhecida por Paul McCartney & Wings) foi uma banda de rock formada em 1971 pelo ex-beatle Paul McCartney, que permaneceu em atividade até 1981. A banda atingiu bastante sucesso, embora tenha mudado constantemente de integrantes. Somente três integrantes permaneceram do início ao fim: Paul McCartney, Linda McCartney (esposa de Paul) e Denny Laine.


Logo após o fim dos Beatles, Paul McCartney lançou seu primeiro álbum solo somente com a participação de sua mulher, Linda, nos vocais. No segundo álbum solo de Paul, houve a participação de outros musicos entre eles o baterista Denny Seweill.
Em agosto de 1971, Paul resolveu formar uma nova banda de rock. Ele chamou o baterista Denny Seweill e o guitarrista Denny Laine (ex-Moody Blues) para juntar-se a ele e a mulher. Segundo Paul, o nome da banda surgiu após o nascimento complicado de sua segunda filha, Stella McCartney.

Os Wings lançaram seu primeiro trabalho ainda em 1971, Wild Life. Para recriar o clima de uma gravação ao vivo, os Wings lançaram as músicas sem fazer muitos takes, o que acabou desagradando aos críticos por considerar o álbum fraco.
Em 1972 os Wings apresentaram-se pela primeira vez ao vivo em algumas universidades inglesas e na Escócia. Lançaram compactos com as canções "C Moon", "Give Ireland back to the Irish (que foi banida pela BBC por seu conteúdo político), "Mary had a little Lamb" e "Hi, Hi, Hi" (que também foi banida pela BBC por suas referências ao uso de drogas e por sua conotações sexuais).
Em 1972 Paul rebatizou a banda como Paul McCartney and Wings e no ano seguinte lançou o álbum Red Rose Speedway com mais um integrante na banda, o guitarrista Henry McCullough, e o grupo se tornou um quinteto. O álbum trouxe ao Wings seu primeiro hit de grande sucesso, a balada "My Love", sendo o disco aclamado por críticos e pelo público, alcançando o primeiro lugar nas paradas americanas. No mesmo ano, os Wings lançaram a canção "Live and Let Die" tendo o ex-produtor dos álbuns dos Beatles à frente, George Martin. A canção foi composta especialmente para ser tema do novo filme do agente 007, James Bond, Live and Let Die (br: Viva e Deixe Morrer). A música foi indicada ao Oscar.
Após uma turnê pelo Reino Unido, os Wings gravaram o álbum seguinte na Nigéria, e durante as gravações Denny Seiwell e Henry McCullough largaram o grupo. Como trio, os Wings lançaram o seu álbum de maior sucesso, Band on the Run ainda em 1973. O álbum foi eleito o disco do ano. Atingiu o topo das paradas de sucesso, agradando a críticos e fãs. Entre as canções de destaque estavam "Hellen Wheels", "Bluebird", "Jet", "Band On The Run" e "Let Me Roll It". Pela primeira vez, Paul compôs uma música em parceria com Denny Laine, "No Words".
Em 1974 os Wings, com os integrantes Jimmy McClloch na guitarra e Geoff Britton na bateria, lançaram em compacto a canção de sucesso "Junior's Farm". Foi o último lançamento do Wings pela Apple Records.
Para a gravação do álbum Venus and Mars de 74, a banda voltou a só usar o nome Wings. Foi o primeiro álbum a ser lançado pela MPL Communications (ou "McCartney Productions Limited"), companhia de Paul McCartney. O álbum começou a ser gravado em Londres, mas as gravações mudaram para New Orleans durante a qual Geoff Britton largou a banda e foi substituído por Joe English. O álbum seguiu o estilo do anterior, e embora tenha atingido grande sucesso não causou tanto impacto como Band on the Run. As canções que se destacaram foram "Listen to what the man said" (primeiro lugar nos Estados Unidos) e "Letting Go". Denny Laine em "Spirits of Ancient Egypt" e Jimmy McCulloch em "Medicine Jar

Após alguns shows na Austrália que fez parte da tournê chamada Wings Over the World Tour, os Wings gravaram seu quinto álbum, Wings at the Speed of Sound, em 1976. Em Wings at the speed of Sound, Paul responde à canção "How dou you sleep?" que John Lennon lançou em seu disco (Imagine) de 1971. Na canção, John acusou Paul de ser um cantor só de canções tolas e românticas, entre outras coisas. Paul respondeu em seu disco com a canção "Silly Love Songs". No álbum, todos integrantes da banda puderam cantar pelo menos uma canção, inclusive Linda McCartney. Mas as canções que se destacaram foram "Silly Love Songs" e "Let 'Em in".
A turnê pelos Estados Unidos, começada em 1975, que só acabou em 1976 acabou sendo registrada no álbum de 76, Wings Over America. Posteriormente, em 1980, foi lançado o vídeo Rockshow com o show de Seattle da mesma tournê.

 Após a turnê mundial, os Wings fizeram uma pausa na carreira. Jimmy McCulloch e Joe English acabaram abandonando a banda. No final de 1977, os Wings lançaram a canção "Mull Of Kintyre", que trouxe o som de gaita de foles e tornou-se um dos maiores sucessos do grupo, tornando-se o compacto mais vendido na Inglaterra, só sendo superado mais tarde por "Bohemian Rhapsody", do grupo Queen.
Em 1978 como trio, a banda lançou o álbum London Town. Foi o álbum mais vendido da banda que trouxe o sucesso "With A Little Luck". No ano seguinte, a banda lançou o álbum Back to the Egg com dois novos integrantes, Laurence Juber na guitarra e Steve Holly na bateria. A canção "Rockestra Theme" contou com a participação de alguns astros do rock, entre eles Pete Townshend (The Who), David Gilmour (Pink Floyd), John Paul Jones e John Bonham (Led Zeppelin). No mesmo ano, o ex-integrante Jimmy McCulloch morreu vítima de overdose de heroína.
Em 1979 Paul McCartney organizou espetáculos em ajuda ao UNICEF e aos refugiados do Camboja (Concerts for the People of Kampuchea). Participaram dos espetáculos, em Londres, os Wings, Queen, The Who, Pretenders, The Clash e Elvis Costello entre outros. Logo após, o grupo partiu em uma turnê ao Japão, onde Paul McCartney foi preso ao desembarcar no aeroporto por porte de maconha. Ele ficou preso por nove dias antes de ser deportado do país. O incidente marcou o fim dos Wings.

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

ALÉM DA IMAGINAÇÃO (seriado)

Além da Imaginação no Brasil e Quinta Dimensão em Portugal, é uma série de televisão americana criada por Rod Serling e dirigida por Stuart Rosenberg, apresentando histórias de ficção científica, suspense, fantasia e terror. Mediante o sucesso popular da série, ao longo de sua história foram realizadas diversas temporadas e continuações. Além da imaginação (1959), de 1959, da CBS, possui 5 temporadas e 156 episódios, enquanto que na década de 1980 foi lançada, ainda pela pela CBS O Novo Além da imaginação, com 3 temporadas. Essa primeira continuação foi precedida por um filme, No Limite da Realidade que causou polêmica pela morte de um dos atores no set de filmagem. Já no século XXI, houve a produção, pela UPN, de Além da imaginação (2002) com apenas uma temporada, apresentada por Forest Whitaker.

A grande maioria dos episódios abordava histórias com elementos sobrenaturais, ocorrências “Além da Imaginação” e inexplicáveis, tais como viagens no tempo, mundos paralelos, viagens espaciais, alienígenas, fantasmas, vampiros e outras situações misteriosas, ambientadas em um local denominado "Zona do Crepúsculo" ou "Twilight Zone", que originalmente dava título à série.
A série original foi produzida de 1959 a 1964. Alfred Hitchcock havia se firmado como um dos nomes mais reconhecidos da televisão, famoso por seus escritos para dramas televisivos, bem como por suas críticas às limitações apresentadas por esse meio. Suas mais freqüentes queixas eram dirigidas à censura praticada pelos patrocinadores e redes. quando, em 1958, a CBS comprou o roteiro para TV que Alfred Hitchcock esperava produzir como o piloto de uma série semanal, "The Time Element", o fato se tornou a marca da primeira investida de Rod Serling no campo da ficção científica, iniciando a ideia da produção da série.

Os episódios eram produzidos em preto e branco e valorizavam o enredo; os roteiristas de Twilight Zone frequentemente usavam a ficção científica como um veículo para expor o comportamento social e político da época, como uma forma de iludir a censura. Episódios tais como "The Shelter" ou "The Monsters Are Due on Maple Street" ofereciam comentários e análises de eventos da época, enquanto outros, como "The Masks" ou "The Howling Man", usavam alegorias, parábolas ou fábulas para caracterizar assuntos filosóficos e morais.

O espetáculo utilizava a ficção científica como metáfora para explicar situações sociais. Como as emissoras e os patrocinadores não permitiam situações potencialmente críticas da realidade do país naquela época, os redatores se valiam da ficção para expor diversos assuntos, que acabavam sendo ignorados pelos censores, que pensavam que o programa era de fantasias inócuas. Alguns temas recorrentes foram a guerra nuclear, as doutrinas de Joseph McCarthy e outros assuntos proibidos pelo cinema e televisão. Certos episódios ofereciam comentários de eventos da atualidade, e usavam parábolas ou alegorias para analisar a moral ou decisões filosóficas dos personagens[carece de fontes].
Apesar de sua estima na comunidade literária, Serling achava Além da Imaginação difícil para vender, pois poucos críticos sentiram que a ficção científica poderia transcender o escapismo vazio e entrar no mundo do drama adulto.

Em uma entrevista de 22 setembro de 1959, com Serling, o jornalista Mike Wallace expôs uma questão ilustrativa da época: “...[Y]ou're going to be, obviously, working so hard on The Twilight Zone that, in essence, for the time being and for the foreseeable future, you've given up on writing anything important for television, right?1 ”.
Embora a presença de Serling na série tenha se tornado uma de suas características mais distintivas, com a sua entrada ainda hoje amplamente imitada, ele teria ficado nervoso com isso e teve que ser persuadido a aparecer em cena. Serling, muitas vezes pisa no meio da ação e os personagens permanecem aparentemente alheios a ele, mas em uma ocasião notável, eles estão cientes que ele está lá: No episódio "A World of His Own" (Um mundo próprio), um escritor com o poder de alterar os objetos de sua realidade para a narração, rapidamente apaga Serling do show.
A série original contém 156 episódios. As temporadas 1, 2, 3, 5 têm episódios de meia hora, e a quarta temporada, de 1962 a 1963, tem episódios de 1 hora.

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

SALVATORE ADAMO

Salvatore Adamo, também conhecido simplesmente como Adamo, é um cantor francófono ítalo-belga nascido em Comiso, Itália em 1º de Novembro de 1943. Seus grandes sucessos são: Inch'Allah, C'est ma vie e F... comme femme.

Salvatore Adamo nasceu em 1 de Novembro de 1943 em Comiso, na Sicília (Itália), mas vai crescer na Bélgica, onde seu pai se mudou em 1947 para trabalhar nas minas. Coração cantor, foi observado, em 1960, ao vencer um concurso organizado pela Rádio Luxemburgo. Adamo começou uma longa carreira que marcam a canção francesa dos anos sessenta e setenta. alguns seus primeiros sucessos foram "The Night", "What You Lord", "eu esqueci que as rosas são rosas:" É Minha Vida ". Salvatore Adamo canta FracesFrancia, mas não hesita em gravar alguns dos seus títulos alemães, espanhóis, Italiano, Português, etc. Obtém fama mundial e os seus álbuns conseguem vender mais de cem milhões de cópias tornando-se o mais vendido artista de gravação da Bélgica. 's, em parte, por esta razão que o rei dos belgas, Albert II, premiado com o título de "Chavalier" em 2001. Durante a década dos anos oitenta tem menos atividade devido a problemas cardíacos.
Adamo nasceu no seio de uma família pobre com sete filhos. Estudou numa escola religiosa de educação rígida. O sonho dos seus pais era oferecer-lhe um futuro glorioso.
Aluno consciencioso e solitário, Adamo revelou um grande dom para o canto. Adolescente, participou num concurso radiofónico em que ganhou o 1º prémio. Ao mesmo tempo gravou o 1º disco, sem sucesso. Desanimado pensou retomar os estudos. Seguindo o conselho do pai, António, um mineiro, Adamo tomou o caminho da capital para tentar a sua sorte.Assessorado pelo pai bateu sem cessar às portas das editoras e assinou por fim um contrato.
Em 1963, lançou "Sans toi, ma mie", seu primeiro sucesso, seguido de "Tombe la neige", "Vous permettez, Monsieur", "Les filles du bord de mer", "Mes mains sur tes hanches", "La nuit", "Inch'Allah" e "C'est ma vie".
Cantor popular por Excelência, Adamo seduziu o público em França e no estrangeiro. Ele é idolatrado no Japão e os seus concertos tinham milhares de espectadores em todos os países do mundo.
Artista emérito e trabalhador esforçado, Adamo não poupou esforços, e passou o essencial do seu tempo nas estradas, entre dois concertos. Restabelecido de um grave enfarte que teve em 1984, Adamo publicou, em 1992, Rêveur de fonds, um novo álbum que foi objecto de críticas elogiosas. Confortado por esta popularidade reencontrada, lançou em 1994 C’est ma vie, um disco ao vivo, recordação de uma série de concertos no Cassino de Paris e título do seu disco de 1975.
Em 1995, editou La vie comme elle passe, um álbum introspectivo, muito intimista, seguido, em 1998, de Regards.
Artista apaixonado, Adamo seguiu a carreira sem se preocupar com modas e tendências. Ele provou que apesar disso a sua popularidade se mantém intocável. Ao fim de quarenta anos de carreira ele publicou Les mots de l’âme em 2002, um CD com os seus grandes sucessos. Em 2004 foi a vez do CD e DVD Zanzibar, em 2007 publica o CD La part de l'ange em 2008, o CD Le bal des gens bien (duetos), em 2010, o CD De Toi à Moi.
"F... comme femme" foi seu maior sucesso no Brasil entre 1969 e 1970, sendo tema da telenovela Beto Rockfeller.

domingo, 6 de outubro de 2013

JOHN FOSTER

John Foster, nome artístico de Paolo Occhipinti, cantor-jornalista e colunista da revista italiana 'Oggi', foi um cantor italiano meio obscuro dos anos sessenta, acima de tudo lembrado pelo seu grande êxito Amore Scusami (letra de Vito Pallavicini e música de Gino Mescoli),com o qual participou no Festival de San Remo, em 1964.
John Foster é um caso raro de um jovem que reuniu a pena de jornalista com o microfone, para cantar com igual sucesso.

Paul Occhipinti, natural e residente em Milão, é o nome verdadeiro de John Foster, o jovem com óculos, editor de uma revista importante de Milão e ao mesmo tempo célebre intérprete de muitas canções de sucesso.
A origem do seu nome artístico remonta a alguns anos atrás, quando estudava em Londres para aperfeiçoar os estudos de Inglês. Com uma voz quente e envolvente, Foster estreou-se como cantor em reuniões de estudantes. O sucesso e a aclamação que recebeu então, induziram-no a cantar em casas nocturnas de Soho, o bairro latino bem conhecido de Londres. De volta à Itália, agora mestre do idioma inglês, Foster começou a sua carreira como jornalista e, ao mesmo tempo, as actuações e interpretações com o seu estilo único, tendo posteriormente gravado alguns discos de sucesso.


AH!!...BONS TEMPOS

quarta-feira, 2 de outubro de 2013

A HARD DAYS NIGHT (Filme)

A Hard Day's Night (br: Os Reis do Iê, Iê, Iê / pt: Os Quatro Cabeleiras do Após-Calypso) é um filme de 1964 realizado pelo grupo The Beatles. Foi o primeiro filme realizado pelos Beatles e junto ao filme foi lançado um álbum com o mesmo nome. O cinema na época era grande divulgador de estrelas do rock. Inspirados em Elvis Presley, os Beatles viram no cinema mais uma maneira de promover sua música. O filme foi lançado em 6 de julho de 1964 e foi indicado a dois prêmios da academia de cinema, o Oscar.

O filme foi rodado em preto e branco. A United Artists escolheu o produtor Walter Shenson para o filme. Ele recomendou o diretor Richard Lester e os Beatles indicaram o nome de Alun Owen como roteirista. Owen era de Liverpool, assim como os Beatles, e já tinha realizado alguns roteiros para a televisão.
Participaram do filme além dos Beatles alguns atores, entre eles: Wilfrid Brambell (que fez o papel de avô de Paul McCartney), Norman Rossington, John Junkin, Lionel Blair, Victor Spinetti, John Bluthal e Derek Nimmo. Pattie Boyd, modelo e atriz, fez uma pequena participação. Foi durante as filmagens que George Harrison a conheceu. Eles acabaram se casando em 1966.
O filme tenta capturar o espírito alegre e a histeria causada pela Beatlemania. Owen teve a ideia de mostrar os Beatles como prisioneiros do seu sucesso, tendo que se esconder sempre de histéricos fãs. O filme começa em uma viagem de trem e termina em um show especialmente feito para a televisão. Os Beatles tocam algumas de suas canções durante o filme que foram lançadas em um álbum com mesmo nome. O filme é considerado uma espécie de semi-documentário sobre o auge da beatlemania.
Canções do filme
    "A Hard Day's Night"
    "I Should Have Known Better"
    "Can't Buy Me Love"
    "If I Fell"
    "And I Love Her"
    "I'm Happy Just to Dance With You"
    "Ringo's Theme (This Boy)"
    "Tell Me Why"
    "Don't Bother Me"
    "I Wanna Be Your Man"
    "All My Loving"
    "She Loves You"