quarta-feira, 29 de maio de 2013

BOB DYLAN

Robert Allen Zimmerman, mais conhecido como Bob Dylan nasceu em Minnesota no ano de 1941. Aos dez anos de idade Dylan escreveu seus primeiros poemas e, ainda adolescente, aprendeu piano e guitarra sozinho. Começou cantando em grupos de rock, imitando Little Richard e Buddy Holly, mas quando foi para a Universidade de Mineapólis em 1959, voltou-se para a folk music.


O primeiro álbum de Dylan foi lançado em 1962 e intitulado”Bob Dylan”. No ano seguinte ele lança “The Freewhellin’ Bob Dylan” que trazia “Blowin’ In The Wind”, hit que consagrou Dylan. Todas as faixas do álbum eram de sua própria autoria e as famosas “A hards-rain a gonna-fall” e “Masters Of War”, tornaram-se clássicas como músicas de “protesto”. Em 1963 Dylan participa do Newport Folk Festival , onde foi promovido por Joan Baez (a “rainha” folk da época) como a nova revelação do estilo folk. Em 1964, ele lança “The Times They Are-A-Changing” , um grande sucesso comercial que consolida sua posição no estilo.




Entre 1964 e 1966, Dylan passa por uma fase de transição deixando o movimento folk de lado e se voltando para canções mais pessoais, instrospectivas, ligadas a uma visão mais particular de mundo. Nessa fase, Dylan eletrifica a sua música, passa a tocar com uma banda de blues-rock como apoio e choca a platéia folk, com sua aproximação ao rock. Por outro lado, foi aclamado pela crítica, ampliou o seu público, tornando-se cada vez mais influente entre artistas contemporãneos e lançando os mais apreciados discos de sua carreira. Em 1966, após uma conturbada turnê pela Inglaterra, devido ao formato rock dos shows, Dylan sofreu um grave acidente de moto que o afastou dos palcos e gravações até 1968. Em seu retorno, supreendeu público e crítica com o álbum “John Wesling Hardin”, fortemente influenciado pelo country, tendência que acentuou-se no trabalho seguinte, “Nashville Skyline”, que trouxe o clássico “Lay Lady Lay” para as paradas.
Em 1969 ele participou do Festival da Ilha de Wight e em 1971 participou do Concerto para Bangladesh, organizado por George Harrison . Depois disso, Dylan só voltou a realizar turnês em 1974. A década de 70 não foi muito favorável para Dylan que não foi muito bem aceito pela crítica, considerado muito abaixo de seus melhores momentos. De qualquer forma algumas músicas dessa época ganharam destaque como: “If Not For You” (1970), “Knockin’ on Heaven’s Door” (1973), “Forever Young” (1974).
Quando Dylan volta as turnês, acompanhado pelo grupo The Band, retorna a evidência e ao sucesso, principalmente pelo elogiado duplo ao vivo “Before the Flood” (1974). Na retomada da carreira de forma mais ativa, Dylan produz em 1975 o famoso”Blood On Tracks” e “Desire” em 1976, considerados pela crítica os melhores discos nos anos 70. Em 1977 Dylan se divorciou de Sara Lownes, com quem era casado desde 1965, e passou por uma fase de crise pessoal, que acabou se refletindo em seu trabalho. Em 1978, saiu para uma turnê mundial (que grande parte foi registrada no duplo ao vivo “At Budokan”) e acabou se focando na música gospel, ao se converter e se filiar a uma igreja. Nesta nova fase, “Slow Train” (1979) ainda traz momentos inspirados: a canção “Gotta Serve Somebody” ganhou um Grammy, mas os discos seguintes são irregulares.

Em 1983, Dylan lança “Infidels” e afastado da fé cristã, volta de maneira repentina para as suas raízes judaicas e parece reencontrar certo equilíbrio artístico. Bem recebido pela crítica, é considerado seu melhor álbum desde Desire. Em 1988, chega às lojas “Down In The Grovy”, álbum que passou despercebido por crítica e fãs. Em 1989 ele lança o álbum “Oh Mercy” bastante elogiado pela qualidade das músicas e volta às paradas com a banda Traveling Wilburys, formado com os amigos George Harrison, Tom Petty, Jeff Lynne e Roy Orbison. No início da década de 90, Bob Dylan dá uma “parada” na carreira. Para comemorar e fazer um balanço de seus 30 anos de trajetória, ele volta a gravar folk tradicional, acústico, sem se importar com o pouco apelo comercial deste gênero nos dias atuais. Em 1992 é realizado um show-tributo em grande estilo, com a participação de vários nomes do rock, country e do soul cantando suas músicas: Eric Clapton, Stevie Wonder, Neil Young, Willie Nelson, Lou Reed, Eddie Vedder entre outros. Em 1994, Dylan produziu um acústico para a MTV. E em 1997 ele lança “Time Out Of Mind” que ganhou vários Grammys. Em 2001 Dylan lança “Love and Theft”  que confirma a qualidade musical do cantor de “Time Out Of Mind”.
Com “Modern Times”,lançado em 2006, Dylan conquista pela quarta vez na carreira a liderança do ranking dos mais vendidos dos Estados Unidos, vendendo 192.000 cópias na primeira semana. A última vez que Dylan tinha alcançado a liderança nos Estados Unidos, foi com o álbum “Desire”, de 1976, que ficou 5 semanas no topo das paradas. Antes disso, alcançou o primeiro lugar com o clássico disco “Blood On The Tracks”, em 1975, e com “Planet Waves”, no ano anterior.

Nenhum comentário:

Postar um comentário