quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

CAT STEVENS

Stephen Demetre Georgiou (Londres, 21 de Julho de 1948), anteriormente conhecido pelo nome artístico de Cat Stevens e agora chamado Yusuf Islam é um cantor e compositor britânico.
Seu pai é de origem greco-cipriota e sua mãe de origem sueca. Vendeu 40 milhões de álbuns, principalmente entre as décadas de 1960 e 1970. Em 1971, escreveu uma música para o filme Harold and Maude (no Brasil: "Ensina-me a Viver"). Entre suas canções mais populares estão "Morning Has Broken", "Peace Train", "Moonshadow", "Wild World", "Father and Son" e "Oh Very Young".


Stevens se converteu ao Islão e abandonou a música em 1978. Desde então passou a se dedicar a atividades beneficentes e educacionais em prol da religião. Toma muito cuidado quanto ao uso de suas músicas. Muitas delas dissertam a respeito de temas de sua vida anterior à conversão, e Stevens não quer mais ser associado a eles. Não surpreende que nunca tenha permitido que qualquer de suas canções fosse usada em comerciais de televisão, exceto Father and Son para o comercial da agência Saatchi & Saatchi Wellington Agência  pelo apelo passional da propaganda Apesar de estar há quase 30 anos afastado da indústria musical, os trabalhos anteriores como Cat Stevens continuam vendendo uma média de 1,5 milhão de discos por ano.
Criou seu próprio selo fonográfico, a Ya Records, pelo qual já produziu dez discos de música religiosa e espiritual. Fundou três escolas muçulmanas em Londres e uma organização sem fins lucrativos, Small Kindness, reconhecida pela ONU e através da qual presta ajuda aos órfãos de conflitos como Bósnia, Kosovo e Iraque.
Em 2004, o Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos impediu a entrada dele no país, após incluí-lo na lista de vigilância por atividades provavelmente relacionadas ao terrorismo.
Em Março de 2005 ele lançou "Indian Ocean", sobre o tsunami de 2004 no Oceano Índico, que em 26 de Dezembro de 2004 atingiu vários países, com o objetivo de ajudar os órfãos de Banda Aceh, na Indonésia, uma das áreas mais afetadas pelo tsunami.
Em 2006, anunciou a sua volta à música pop, com o disco An Other Cup, lançado em 28 de novembro, coincidindo com o 40º aniversário de lançamento do seu primeiro álbum.


Em janeiro de 2009, Yusuf gravou uma música de George Harrison chamada The Day the World Gets Round, em colaboração a Klaus Voormann. O dinheiro arrecadado com a música foi doado às pessoas vítimas da guerra na Faixa de Gaza. Para promover o novo single Voormann redesenhou um famoso álbum dos Beatles, o Revolver, sendo que a nova edição veio com o desenho de Yusuf mais novo, o próprio Voorman e George Harrison. Em maio de 2009, foi lançado o novo álbum de Yusuf, Roadsinger. A principal música, Thinking 'Bout You, saiu na rádio BBC em março. Em abril, ele apareceu no primeiro programa de Chris Isaak da A&E com versões ao vivo das novas músicas, Shamsia, Boots and Sand e Roadsinger. Em junho de 2010, ele pretendia fazer uma turnê pela Austrália pela primeira vez, em 36 anos. A turne não aconteceu, mas seus fãs esperam que ela venha acontecer algum dia.












Yusuf casou-se com Fauzia Mubarak Ali em 7 de setembro de 1979, com quem teve cinco filhos. Atualmente mora em Londres, mas periodicamente passa temporadas em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos.

sábado, 26 de janeiro de 2013

THE MARVELETTES

The Marvelettes foi um grupo vocal feminino norte-americano formado na década de 1960.
As Marvelettes foram o primeiro grupo vocal feminino da Motown a fazer sucesso. Durante oito anos, as Marvelettes emplacaram 19 canções no Top 40 de R&B e dez no Top 10 Pop norte-americanos. Destes, o mais famoso é "Please Mr. Postman", que atingiu o primeiro lugar na parada pop norte-americana e foi regravada mais tarde por artistas como Beatles e Carpenters. O sucesso das Marvelettes precedeu a de outros grupos femininos da Motown, como Martha and the Vandellas e The Supremes.

The Marvelettes Integrantes


Gladys Horton
Wanda Young
Katherine Anderson
Georgeanna Tillman
Georgia Dobbins



Discografia

    Please Mr. Postman (1961)
    The Marvelettes Sing aka Hits of '62 (1962)
    Playboy (1962)
    The Marvelous Marvelettes (1963)
    The Marvelettes Recorded Live On Stage(1963)
    The Marvelettes Greatest Hits (1966) (#84 US pop; #4 US R&B)
    The Marvelettes (Pink Album) (1967) (#129 US pop; #13 US R&B)
    Sophisticated Soul (1968) (#41 US R&B)
    In Full Bloom (1969)
    The Return of the Marvelettes(1970) (#50 US R&B)
    The Marvelettes Anthology(1975)
    Best of The Marvelettes(1975)


quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

TERRY WINTER



Thomas William Standen (8 de maio de 1947 — 23 de setembro de 1998) começou a cantar ainda nos anos 60 em português. No início dos anos 70 adotou o pseudônimo de Terry Winter.
Cantor e compositor, surgiu na Jovem Guarda com o nome Tommy Standen, com canções gravadas por artistas como Nilton Cesar ("Ao Mundo Vou Contar", em 1966) e Ronnie Von ("Pequeno Príncipe", parceria com Fred Jorge, em 1967), paralelamente a seus próprios discos ("O Quente", RCA, 1966; "A Varanda", RCA, 1967).


Em 1972 reinventou-se como Terry Winter, aproveitando a onda de artistas que se faziam passar por estrangeiros; fez grande sucesso interpretando composiçõs próprias como "You'll Notice Me", "Our Love Dream" e "Summer Holiday" até se revelar brasileiro no programa de Sílvio Santos, anunciando inclusive que mudaria novamente o nome artístico, para Thomas Williams, mudança esta que não ocorreu.
Winter/ Standen deixou de fazer sucesso como intérprete, mas ainda freqüentou as paradas musicais graças a mais uma metamorfose: como Chico Valente, assinou vários sucessos de música sertaneja moderna como "Sonho De Um Caminhoneiro", "Mãe De Leite" (ambas gravadas por Milionário e José Rico), "Convite De Casamento" (gravadas por Ataíde e Alexandre), "Meu Velho Amigo" (Tonico e Tinoco) e "Rei do Gado" (tema de abertura da telenovela homônima da Rede Globo) compostas em parceria com Nil Bernardes, o mesmo Neil Bernard coautor de "Summer Holiday" e outras.
Terry Winter trabalhou também como ator em algumas ocasiões, como na telenovela A viagem, de Ivani Ribeiro, produzida e exibida pela TV Tupi entre 1975 e 1976.

Da parceria de Terry Winter e Nil Bernardes, com Orival Pessini constam Singles como: "Guerra nas Estrelas.", "Eu Quero Ver." e "Mundo Novo." - Gravações em Long Play e Singles de Orival Pessini, assumindo sua personagem Fofão.
Foi casado com Mirian Baraboskin, e deixou quatro filhos, Shannon Mark, Shareene, Scott Sherman e Shane Morgan. Morreu em 1998 vítima de um derrame.


sábado, 19 de janeiro de 2013

PHOLHAS



Pholhas é uma banda de rock brasileira, da cidade de São Paulo.
A banda foi criada em 1969 com a seguinte formação: Helio Santisteban (teclado), Paulo Fernandes (bateria), Oswaldo Malagutti (baixo) e Wagner "Bitão" Benatti (guitarra), com os quatro se revezando nos vocais. Começaram fazendo covers de bandas dos EUA e Inglaterra e passaram a compor também em inglês.
Seu primeiro LP, "Dead Faces", lançado em 1972 pela RCA, continha apenas canções em inglês. Um compacto simples extraído desse álbum, com a música "My Mistake", chegou ao primeiro lugar das paradas, vendendo 400 mil cópias em apenas três meses. Em seguida, outras canções foram lançadas em compactos, como "She Made Me Cry", "I Never Did Before" e "Forever", todas atingindo vendagem superior a 300 mil cópias. Em 1975, o álbum de estréia foi lançado no mercado hispânico com o título de "Hojas", dando ao grupo mais um Disco de Ouro.
Em 1977 o grupo mudou de orientação, lançando o LP "O Som das Discotheques", com covers dos principais sucessos do gênero, e chegando a 150 mil cópias vendidas.
Logo em seguida, Hélio Santisteban resolveu seguir carreira solo e em seu lugar entrou Marinho Testoni, ex-Casa das Máquinas. Isso levou a outra mudança no grupo, que lançou um disco de rock progressivo, e pela primeira vez com letras em português. O disco vendeu bem menos que os anteriores, mas tornou-se cult para um segmento de público.

Em 1978, foi Oswaldo Malagutti quem deixou a banda, sendo substituído pelo baixista João Alberto, também ex-"Casa das Máquinas". Malagutti criou com Santisteban o Estúdio MOSH (acrônimo de seus nomes) e até hoje trabalha com produção e masterização de CDs e DVDs musicais.
Em 1980 Hélio Santisteban retornou ao grupo, que retomou a tradição de cantar e compor em inglês, lançando então o LP "Memories". Poucos meses depois, com a saída de Marinho, o Pholhas chegou à seguinte formação: Bitão (guitarra), Paulo Fernandes (bateria), Hélio Santisteban (teclados) e João Alberto (baixo).



No final de 2007 Hélio Santisteban deixa definitivamente a banda, a partir de então Bitão, Paulinho e João Alberto resolvem não ter mais um tecladista fixo e sim um tecladista especialmente convidado para cada apresentação. Essa formula deu tanto certo que virou um atrativo a mais dos shows.
Ainda na estrada depois de 42 anos, a banda PHOLHAS continua apresentando espetáculos em todo o Brasil e exterior, com recriações de sucessos do rock inglês e norte-americano, especialmente de Bee Gees, Creedence Clearwater Revival, Elvis Presley, Rolling Stones e Beatles.




quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

RIN TIN TIN

Rin Tin Tin era uma série sobre um cão que acompanhava uma unidade da cavalaria dos EUA. O melhor amigo de Rin Tin Tin era o Cabo Rusty, um garoto que perdeu os pais em um ataque dos índios e foi adotado pela corporação, se tornando uma espécie de mascote. Sempre que havia algum problema e Rusty necessitava da ajuda de seu amigo canino ele griitava ("Yo ho Rinty!"). Todos viviam em um forte apache, no Arizona.

O primeiro Rin Tin Tin surgiu em 1922 e foi sucedido por outros dois cães Pastor Alemão (German Shepherds) na série de TV. O Rin Tin Tin original morreu em 1932.
O canal de TV ABC estreou em 1959 uma nova série com o personagem que ficou no ar até 1961 e outro canal, a CBS, retonou com a mesma série em 1962, mantendo-a no ar até setembro de 1964.
O veterano ator James L. Brown (não confundir com o cantor de soul) foi convocado em 1976 para fazer as aberturas da série em que havia participado nos anos 50. A série voltou ao ar mais uma vez com sucesso de público.

Nos anos 80 e 90 uma grande quantidades de filmes foram feitos, todos inspirados no primeiro grande cão ator da TV americana, Rin Tin Tin. Surgiram os filmes da série K9 (Canine) e K9 Cop entre outros.

domingo, 13 de janeiro de 2013

UM INSTANTE DE POESIA ("Vamos embora para o passado")


VERDADEIRA, PRECIOSA,   E MAGNIFICA POESIA, SOMENTE PARA MAIORES DE 50 ANOS 

                                                     ASSISTAM ATÉ O FIM



                                                  SOBRE O  POETA

JESSIER QUIRINO Arquiteto por profissão, poeta por vocação, matuto por convicção. Apareceu na folhinha no ano de 1954 na cidade de Campina Grande, Paraíba e é filho adotivo de Itabaiana também na Paraíba, onde reside desde 1983.

Filho de Antonio Quirino de Melo e Maria Pompéia de Araújo Melo e irmão mais novo de Lamarck Quirino, Leonam Quirino, Quirinus Quirino e irmão mais velho Vitória Regina Quirino.
Estudou em Campina Grande até o ginásio no Instituto Domingos Sávio e Colégio Pio XI. Fez o curso científico em Recife no Esuda e fez faculdade de Arquitetura na UFPB – João Pessoa, concluindo curso em 1982. Apesar da agenda artística literária sempre requisitada, ainda atua na arquitetura, tendo obras espalhadas por todo o Nordeste, principalmente na área de concessionárias de automóveis.   Na área artística, é autodidata como instrumentista (violão) e fez cursos de desenho artístico e desenho arquitetônico. Na área de literatura, não fez nenhum curso e trabalha a prosa, a métrica e a rima como um mero domador de palavras.
Preenchendo uma lacuna deixada pelos grandes menestréis do pensamento popular nordestino, o poeta Jessier Quirino tem chamado a atenção do público e da crítica, principalmente pela presença de palco, por uma memória extraordinária e pelo varejo das histórias, que vão desde a poesia matuta, impregnada de humor, neologismos, sarcasmo, amor e ódio, até causos, côcos, cantorias músicas, piadas e textos de nordestinidade apurada.
Dono de um estilo próprio "domador de palavras" - até discutido em sala de aula - de uma verve apurada e de um extremo preciosismo no manejo da métrica e da rima, o poeta, ao contrário dos repentistas que se apresentam em duplas, mostra-se sozinho feito boi de arado e sabe como prender a atenção do distinto público.
Nos espetáculos com fundo musical, apresenta-se acompanhado de músicos de primeira grandeza, entre os quais, dois filhos, que dão um tom majestoso e solene ao recital. São eles: Vitor Quirino (violão clássico), e Matheus Quirino (percussão). Os músicos Letinho (violão) e China (percussão) atuam nos espetáculos mais elaborados.
Apesar de muitos considerá-lo um humorista, opta pela denominação de poeta, onde procura mostrar o bom humor e a esperteza do matuto sertanejo, sem, no entanto fugir ao lirismo poético e literário.
Para aqueles que reconhecem o linguajar matuto, ler ou ouvir as obras-primas desse artista é como viajar ao sertão sem sair do canto. Cada expressão que inclui em seus versos é a mais pura encarnação do matuto. As palavras parecem ser destiladas em alambique de cobre antes de serem oferecidas como pequenas doses de alegria. É o típico poeta erudito que nos deleita com as variedades regionais da língua portuguesa e enriquece a todos com seu fabuloso espírito nordestino.


quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

CHRISTIE


Christie foi uma banda inglesa de rock e já lançou álbuns pela Epic Records,
poucas pessoas conhecem a Banda formada por Jeff Christie (vocalista e baixista),
em 1969, o estilo pop/rock com influencias country pode ser conferido no primeiro album da banda (Christie 1970), que possui também a mais conhecida faixa,  "Yellow River".

A banda Christie tem esse nome devido ao fato de o cantor, baixista e compositor Jeff Christie ser seu fundador e líder. Em 69, depois de compor varios hits para diversos artistas bretãos, Jeff convoca Vic Elmes (guitarra) e Mike Blakely (bateria) para formar uma banda de power pop com forte influência do country.
Assim, é lançado este primeiro trabalho puxado por 'Yellow River', um hit mundial instantâneo, e que vendendo acima de todas as expectativas os catapulta ao estrelato. O álbum, recheado de soft rocks e uma ou outra faixa de maiores teores, emplacou ainda 'San Bernardino'. Após o lançamento, Blakely é substituído por Paul Fenton.

Em 71 lançam 'For All Mankind', outro excelente trabalho -em muitos aspectos superior a seu predescessor, além de ligeiramente mais pesado- mas sem conseguir sustentar o enorme sucesso conseguido por aquele apesar do relativo retorno obtido com a faixa 'Jo Jo's Band'. Houve mais uma tentativa com 'Iron Horse'(72) e alguns singles em 74, mas a banda já respirava por aparelhos e o fim era inevitável.
Devido ao sucesso que 'Yellow River' faz até hoje, Jeff Christie vive, de seus royalties e de jingles publicitários.


domingo, 6 de janeiro de 2013

TOM JONES

Tom Jones, nascido Thomas Jones Woodward, (Pontypridd, 7 de junho de 1940) é um cantor de música pop do País de Gales.
 Aos dezesseis anos ele casou e teve um filho, muito antes de se tornar um ídolo pop. Apesar das suas frequentes e bem divulgadas relações extra-conjugais (incluindo um romance com a ex-Miss Mundo de 1973 Marjorie Wallace), ele permaneceu casado, e é tido como um homem de família. Jones mora nos Estados Unidos, mas visita frequentemente a sua terra natal no País de Gales.

Tom alcançou a fama durante os anos 60, e depois de vários sucessos no Reino Unido, tornou-se um cantor de casinos de Las Vegas. Entre seus principais sucessos de começo de carreira estão:
    It's Not Unusual (1965)
    What's New Pussycat?, composta por Burt Bacharach (1965)
    Thunderball, tema do filme homônimo de James Bond (1966)
    The Green, Green Grass of Home (1966), seu compacto de mais sucesso, que passou então a   ser associado com o País de Gales, embora tenha sido inspirada nos EUA
    I'll Never Fall In Love Again (1967)
    Delilah (1968)
    Can't Help Yourself (1968)
    Without Love (1969)
    She's A Lady (1971)

A carreira de Jones estagnou-se a partir de então, e só conseguiria novo fôlego em 1987 com o lançamento de "A Boy From Nowhere". Depois disso ele passou a gravar com uma geração mais nova de músicos.
O penúltimo álbum de Jones, Reload, lançado em 2000, transformou-se no maior sucesso da sua carreira: apresentava versões de outros artistas, gravadas em duetos com os mesmos, utilizando seus produtores e métodos de gravação. Em seguida veio Mr.Jones, lançado em 2002, e no ano seguinte Tom seria premiado com um Brit Awards pela sua contribuição à música. Tom é quem canta o tema de abertura da série de desenhos animados Duck Dodgers. Tom também participou do filme Marte Ataca sendo ele mesmo.



quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

CARLOS GONZAGA



Carlos Gonzaga  nasceu em Paraisópolis MG, em 10 de fevereiro de 1926) , fez sucesso nacional com a versão de Diana (gravação original de Paul Anka) em 1958, com a versão de Oh! Carol e Cavaleiros do céu.
Aos 17 anos, mudou-se para Campos do Jordão. 

Carlos Gonzaga, além das versões das canções de Paul Anka, alcançaria um grande êxito quando gravou a versão em português da música tema da série de TV Bat Masterson, provavelmente o mais famoso no estilo Bang-Bang dos que foram exibidos na televisão brasileira nos anos de 1960. 
Fez shows por todo o país e é reconhecido internacionalmente, se apresentando nos principais palcos da América Latina. 
No cinema, atuou em Virou Bagunça. Em 2005 participou do programa Cidade Nota 10, da Rede Bandeirantes, representando Santo André. Em 2006 recebeu o título de "Cidadão Andreense".