quinta-feira, 6 de setembro de 2012

I LOVE LUCY ( Série )

I Love Lucy estreou na emissora americana CBS  em 15 de outubro de 1951, alcançando picos de audiência nos Estados Unidos, onde até hoje Lucille Ball é lembrada como um marco na história da televisão.
O sucesso imediato da série se deveu a uma ideia simples, mas que marcou uma época: pela primeira vez, o cotidiano das famílias da classe média americana era retratado na televisão. O que tornava cada episódio especial era a incrível atuação de Ball e sua capacidade para fazer qualquer um rir. Some-se a isso o fato de que a atriz insistia em atuar com seu marido verdadeiro, Desi Arnaz, o que aumentava a química entre os atores. Inicialmente, os produtores não acreditavam que daria certo, mas Arnaz permaneceu fazendo o papel de Ricky até o fim, contribuindo também com sugestões de roteiro e músicas para a série. 

Os episódios eram filmados ao vivo, a pedido do próprio Arnaz. Três câmeras eram usadas nas gravações, uma técnica considerada ultrapassada na época, porque os patrocinadores não aprovaram a adoção de um sistema mais moderno. Mesmo assim, a produção não foi prejudicada e os esforços de Desi Arnaz permitiram que I Love Lucy acompanhasse a evolução dos programas de TV ao longo dos anos 60.
Consagrado no hall da fama dos programas de TV, I Love Lucy explorou pela primeira vez temas comuns hoje em dia, tais como companheirismo, machismo, feminismo e situações arriscadas que acabam dando errado. Depois, outras séries seguiram o mesmo caminho, mas nunca conseguiram dosar o humor tão bem em situações tão extravagantes. As incansáveis mentes criativas por trás desse projeto incluíam o produtor Jess Oppenheimer e o time de Madelyn Pugh e Bob Carroll - pessoas que Lucille Ball sempre citava como responsáveis por seu sucesso.

 I Love Lucy foi um dos programas mais bem sucedidos da história, permitindo a Ball e Desi comprarem os estúdios RKO para prosseguir com a filmagem da série. Apesar dos altos índices de audiência, os dois resolveram terminar com o seriado em 1957. O casal passou a filmar especiais de uma hora com os mesmos personagens, intitulados The Luci-Desi Comedy Show. Estes, por sua vez, prosseguiram até 1960, quando Ball e Arnaz se divorciaram.
A série ganhou vários prêmios. Em 1953 venceu o Emmy na categoria sitcom. No ano seguinte ela venceu na mesma categoria e a atriz Vivian Vance ganhou como melhor atriz coadjuvante. No ano de 1956 Lucille Ball ganhou o Emmy de melhor atriz. A série ainda recebeu quatorze outras indicações ao Emmy em diversas categorias.
Recentemente a última temporada da série, que não havia sido dublada,  recebeu esse trabalho com
um novo elenco

 A História.

Na serie, Lucy era uma dona de casa descendente de escoceses cujo nome de solteira é MacGillicuddy. Lucy era casada com o bandleader cubano Ricky Ricardo, radicado nos Estados Unidos, e que trabalhava no Tropicana Club. Lucy vivia querendo convencer Ricky de que era capaz de entrar para o showbiz, mas o marido achava que ela não tinha qualquer talento artístico, e impedia de todo jeito que ela participasse de seu show.
Por conta do descaso do marido com o seu talento, Lucy interferia frequentemente nos contatos dele, situação que proporcionava a presença nos episódios de figuras consagradas como Orson Welles e Bob Hope, em cenas hilárias. As gags mais conhecidas de Lucy são: o choro agudo e estridente no estilo de Stan Laurel e a boca aberta, característica dos comediantes do cinema mudo, quando não acreditam no que estão vendo.
Na temporada de 1956 -1957, Rick se torna proprietário do Babaloo Club. A principal gag de Rick era o inglês estropiado, possivelmente inspirado em Carmen Miranda, que divertiu os americanos desde que confundiu a pronúncia das palavras "south" com "sauce".
Lucy e sua melhor amiga, Ethel Martz  passavam o tempo todo esquematizando como deixar os maridos felizes, e colocar Lucy no showbiz. Nenhum dos planos funciona. Ricky e Fred, marido de Ethel, sempre descobriam tudo. Mas elas acabavam convencendo os maridos de que estavam tentando fazer o bem.
Lucy teve ainda um filho, chamado Little Rick Ricardo, cujo nascimento foi um evento nacional, pois propositalmente coincidiu com o nascimento real do filho de Lucille Ball e Desi Arnaz. Na telinha, o garoto vivido por Keith Thibodeaux, esteve presente nas temporadas de 1956 e 1957.



No Brasil.

No Brasil, a serie foi exibida pela TV Tupi entre 1958 e 1979; depois, pela TV Gazeta, em 1980, e pela TV Cultura de 1994 a 2000.
O enorme sucesso de I Love Lucy na TV Tupi de São Paulo logo inspirou o surgimento de uma versão nacional: Alô Doçura!, a primeira sitcom brasileira.



Nenhum comentário:

Postar um comentário