terça-feira, 31 de julho de 2012

sábado, 28 de julho de 2012

THE ROLLING STONES

The Rolling Stones é uma banda de rock inglesa formada em 12 de julho de 1962, e é uma das bandas mais antigas ainda em atividade. Ao lado dos Beatles, foram considerados a banda mais importante da chamada Invasão Britânica ocorrida nos anos 1960, que adicionou diversos artistas ingleses nas paradas norte-americanas e que decisivamente influenciaram na música pop e nos costumes.
Formado por Brian Jones, Keith Richards, Mick Jagger, Bill Wyman e Charlie Watts, o grupo calcava sua sonoridade no blues. Em cinquenta anos de carreira, sucessos como "Best of Burden", "Tumbling Dice", "Ruby Tuesday", "Wild Horses", "(I Can't Get No) Satisfaction", "She's Like A Rainbow", "Sympathy For The Devil", "Jumping Jack Flash", "Miss You" e "Angie" fizeram dos Stones uma das mais conhecidas bandas do rock mundial, levando-a a enfrentar todos os grandes clichês do gênero, desde recepções efusivas da crítica até problemas com drogas e conflito de egos, principalmente entre Jagger e Richards. Os Rolling Stones já venderam mais de 200 milhões de álbuns no mundo inteiro em sua carreira.

O nascimento dos Rolling Stones aconteceu no Jazz Club da BBC, em 12 de julho de 1962, sendo hoje a banda mais antiga da história do rock. Sofrendo as influências do blues, do rock'n'roll e do country, os Rolling Stones desenvolveram um estilo baseado num som áspero, dominado pela guitarra elétrica, que pouco variou com o passar do tempo. Numa primeira fase, chegaram a interpretar temas de seu músico preferido, Chuck Berry, como a versão de Come on, lançada em seu primeiro single (1963). Quase todos os títulos da banda foram compostos por seus líderes fundadores, o guitarrista Keith Richard e o vocalista Mick Jagger (cujo verdadeiro nome é Michael Philip Jagger). O baterista Charlie Watts e o baixista Bill Wyman entraram para o grupo em 1964. Este último saiu em 1993 e seu lugar foi ocupado por diversos músicos. O segundo guitarrista, Brian Jones, que também fez parte da banda desde o início, declarou, pouco antes de morrer, sua intenção de a abandonar, pois não assimilara as mudanças musicais experimentadas. Um exemplo dessas experiências são as notas assobiadas que aparecem em Paint it Black. Jones foi inicialmente substituído por Mick Taylor e, em 1975, por Ron Wood.

 O fascínio que os Stones exercem sobre os fãs só em parte pode ser explicado por sua música. Os grosseiros movimentos em cena de Jagger; seus textos agressivos, que revelam uma sociedade em crise (Street Fighting Man, Sympathy for the Devil); os excessos nas vidas de Jagger e Richards, marcadas por escândalos devido ao consumo de drogas durante os anos de 1960; os cabelos compridos... representaram, para os fãs, um apelo à rebelião. Seus primeiros concertos foram também perturbados por graves atos de violência. Além dos cachês milionários ou das mudanças da moda, sua continuidade fez do grupo o ídolo de três gerações.


Para comemorar os 40 anos do grupo, em 2002 lançam o álbum duplo Forty Licks (1962-2002) que traz, além de 36 sucessos da banda, 4 novos hits (Don't Stop, Keys To Your Love, Stealing My Heart e Losing My Touch), sendo o primeiro uma espécie de resumo da perseverança característica da banda, atingindo bastante sucesso. Em 16 de agosto do mesmo ano com um show em Toronto (Canadá) os Stones lançam uma de suas maiores turnês - a Licks Tour (detalhe para a música Heart of Stone, não tocada ao vivo desde 5 de dezembro de 1965). Esta longa turnê passou por todos os continentes do planeta, tendo sido encerrada em 9 de novembro de 2003, em Hong Kong. Mantendo o status de maior banda de rock & roll do mundo e a tradição de suas espetaculares apresentações, montam estruturas distintas e específicas para shows em arenas, estádios e teatros, além de private shows. Ao final do mesmo ano lançam o esplêndido DVD quádruplo Four Flicks, mostrando cada um dos formatos de suas apresentações e toda a vitalidade dos músicos sessentões.

Quando todos imaginavam o fim da banda, devido a um câncer na garganta do baterista Charlie Watts diagnosticado em junho de 2004 e curado em fevereiro de 2005, o vigor incansável do quarteto com ênfase às belas letras de Jagger e Richards (conhecidos como The Glimmer Twins desde os anos 70, pela ligação existente entre eles, além das lendárias histórias que protagonizaram) produz um de seus melhores álbuns de estúdio de todos os tempos. Lançado em 2005 A Bigger Bang traz uma sonoridade crua e voltada às raízes da banda: rock and roll, blues e rhythm and blues, além das pegadas das guitarras da dupla Richards/Wood, bem como para a harmônica melodiosa de Jagger, as 16 fortes canções do álbum mostram a excelência e competência de Jagger/Richards/Watts/Wood. Para a divulgação do álbum, mais uma vez iniciando em Toronto (em 10 de agosto de 2005), a banda se lança na estrada com a turnê do mesmo nome.

 Em 18 de fevereiro de 2006, os Rolling Stones voltaram ao Brasil para o show da turnê A Bigger Bang. O show, gratuito, foi realizado nas areias da praia de Copacabana, no Rio de Janeiro, para um público estimado em 1,5 milhão de pessoas, entrando para a história como o maior show da banda e um dos maiores concertos de rock de todos os tempos.
A seção destinada a eles no Salão da Fama os descreve como um dos principais candidatos ao título de "A Maior Banda de Rock do Mundo". Apenas os Beatles e o The Who receberam um tratamento similar no Salão da Fama.


quinta-feira, 26 de julho de 2012

segunda-feira, 23 de julho de 2012

domingo, 22 de julho de 2012

ELVIS: EM CADA SONHO UM AMOR



Elvis Presley está no auge de sua forma nesta comédia musical e demonstra toda a sua sensualidade cantando cinco canções originais em um filme "divertido e agitado" com uma "deliciosa mistura de canções, romance, humor e um toque de ternura à moda antiga" .


O pai malandro de Toby Kwimper (Elvis Presley) resolve se aproveitar de uma lei de ocupação de terras e instalar a família em uma praia pública. Toby gosta do cenário exótico, mas não gosta de toda a atenção que começa a atrair de repente. Toby só quer saber de tocar violão, mas se vê completamente envolvido com burocratas do governo, chefões do crime e até com duas "gatinhas" apaixonadas - uma irmã mais nova e adotiva que não gosta dele apenas como irmão, e uma assistente social que parece precisar muito da assistência dele!


sexta-feira, 20 de julho de 2012

quarta-feira, 18 de julho de 2012

JACKIE WILSON



Jack Leroy "Jackie" Wilson Jr. (Detroit, 9 de junho de 1934 — Mount Holly, 21 de janeiro de 1984), mais conhecido pelo nome artístico Jackie Wilson, foi um cantor e performer norte-americano. Conhecido pelas alcunhas Mr Escitement e The Black Elvis, Wilson foi altamente importante na transição do rhythm and blues para o soul. Ele era conhecido como um showman, e como um dos cantores mais dinâmicos de R&B e da história do Rock.




Ganhando fama em seus primeiros anos como um membro do grupo vocal The Dominoes, seguiu carreira solo em 1957 e gravou mais de 50 singles de sucesso que se estendeu de R&B, pop, soul, doo-wop e adult contemporary. Durante um show beneficente em 1975, ele caiu no palco devido um ataque cardíaco quando cantava um de seus maiores sucessos "Lonely Teardrops".





Jackie permaneceu em coma por quase nove anos, durante esse tempo ele nunca teve alguma melhora, Elvis Presley e Al Green costumavam o visitar no hospital. Jackie foi enterrado em uma cova sem marcação, alguns fãs de Detroit arrecadaram dinheiro para lhe dar um túmulo digno. Ele influenciou artistas como Elvis Presley e Michael Jackson.
Foi introduzido no Rock and Roll Hall of Fame em 1987.




 

segunda-feira, 16 de julho de 2012

domingo, 15 de julho de 2012

STRAY CATS



Stray Cats é uma banda americana de Neo-Rockabilly formada em 1979 pelo guitarrista/vocalista Brian Setzer e seus colegas de escola Lee Rocker (Leon Drucker) e Slim Jim Phantom (James McDonnell). O grupo teve vários sucessos no Reino Unido e nos Estados Unidos no começo dos anos 80.
Depois de sua primeira separação em 1984, a banda vem reunindo-se esporadicamente; mais recentemente em 2004, lançando Live in Brixton, álbum de versões ao vivo de muitas de suas primeiras canções.

Os Stray Cats foram formados na cidade de Massapequa, Long Island. O seu som retro, estilo anos 50, não agradou muito ao público. No verão de 1980 o grupo decidiu partir para a Inglaterra, onde o movimento revival do rockabilly estava começando a emergir.
Depois de um espectáculo em Londres, os Stray Cats encontraram-se com o produtor Dave Edmunds, conhecido como um entusiasta das raízes do rock por seu trabalho com a Rockpile e como artista solo. Edmunds ofereceu-se para trabalhar com o grupo, e eles entraram em estúdio para gravar um álbum homónimo, lançado na Inglaterra em 1981 pela Arista Records. O sucesso do disco foi imediato e o mesmo produziu três êxitos: "Runaway Boys", "Rock This Town" e "Stray Cat Strut". O álbum seguinte, Gonna Ball, não foi tão bem recebido, tendo sido marcado por fortes críticas negativas. Os Stray Cats decidiram retornar aos Estados Unidos e divulgar seu trabalho por lá.

Os Stray Cats assinaram contrato com a EMI America, e em 1982 lançaram seu álbum de estréia norte-americano, Built for Speed, uma compilação dos seus dois LPs britânicos.
Ajudados por uma divulgação maciça na recém-lançada MTV, "Rock This Town" e "Stray Cat Strut" chegaram ao Top Ten norte-americano, mais de um ano depois de aparecerem nos escaparates britânicos. Como resultado, Built for Speed foi um grande sucesso, e os Stray Cats passaram a ser vistos como mestres do estilo retro. O seu segundo álbum norte-americano, Rant n' Rave With the Stray Cats, foi lançado em 1983 e produziu outro êxito no Top Ten com "(She's) Sexy + 17", assim como um sucesso menor com a balada estilo doo-wop "I Won't Stand in Your Way".

Conflitos pessoais começaram a surgir causados pela maneira como os músicos lidaram com o sucesso; Phantom casou-se com a atriz Britt Ekland, enquanto Setzer fazia participações especiais com astros como Bob Dylan e Stevie Nicks, além de se tornar guitarrista do projeto The Honeydrippers de Robert Plant. No fim de 1984, Setzer acabou com a banda depois de várias alterações.
Em 1986 os Stray Cats reuniram-se novamente em Los Angeles, gravando um álbum de covers chamado Rock Therapy, que não vendeu muito bem.

O trio voltou aos seus respectivos projetos pós-Stray Cats, lançando álbuns de pouco sucesso. Em 1989, eles reuniram-se mais uma vez para lançar Blast Off, que foi acompanhado por uma digressão com Stevie Ray Vaughan. Abandonando a EMI, a banda entrou em estúdio com Nile Rodgers para gravar Let’s Go Faster, lançado pela Liberation em 1990. Em 1992 lançam o álbum Choo Choo Hot Fish e no ano seguinte mais um álbum de covers, Original Cool, quando o grupo separou-se novamente.
Apesar da pouca repercussão de seus álbuns nos anos 90, o grupo reúne-se periodicamente para apresentações ao vivo. Em 2004 reuniram-se novamente gravando o disco e dvd Rumble in Brixton, último lançamento oficial até o momento. .


 

sexta-feira, 13 de julho de 2012

quarta-feira, 11 de julho de 2012

RAY CONNIFF


Joseph Raymond "Ray" Conniff (Attleboro, Massachusetts, 6 de novembro de 1916 — , Califórnia, 12 de Outubro de 2002) foi um músico norte-americano, considerado o rei do Easy Listening.
Filho de pai trombonista e mãe pianista, foi natural que ele seguisse o caminho da carreira musical. Conforme Ray contava em suas entrevistas, fez um curso por correspondência, com um único dólar, que o introduziu na arte da teoria musical. Formou o seu primeiro grupo artístico ainda adolescente. Anos mais tarde, aperfeiçoou-se de forma profunda na carreira, ao se tornar discípulo da Juilliard School. Depois de atuar e formar uma sólida base musical como trombonista e arranjador nas Big Bands, como as de Artie Shaw, Harry James e outros, Ray passou a escrever arranjos para Johnny Mathis, Guy Mitchell, Johnnie Ray, mas devido a seu talento, teve a oportunidade de formar sua própria orquestra em 1955, a convite de Mitch Miller, da CBS.

Seu estilo de associar vozes masculinas a trombones, trompas e saxofones baixo, e vozes femininas a pistons, clarinetes e saxofones altos, dava-lhe uma característica inusitada e só sua. Seu coral limitava-se a pronunciar sons como da-das e du-du-dus e outras variantes, ao invés de palavras, o que imprimia um "colorido musical", intensificando os tons suaves e, ao mesmo tempo, abrandando os mais fortes.
O som de Conniff ficou famoso logo após o lançamento de seu primeiro disco solo, em 1956, e que se intitulou ´S Wonderful, que vendeu milhões de cópias e permaneceu por meses nas primeiras posições da parada de sucessos. Daí até o segundo, terceiro e quarto álbuns, todos de grande sucesso, foi um pulo, assim como seus lançamentos subseqüentes.

Ray Conniff fez um grande sucesso até o início da segunda metade da década de 1960, período em que seu som ainda era ouvido em bailes de clubes, nas rádios e nas festinhas caseiras. No entanto, a partir do final desta mesma década, suas vendas começaram a decair. A despeito disso, sempre se manteve fiel a seu estilo, com algumas variantes, como discos com o pistonista Billy Butterfield e a introdução dos cantores ainda no início da década de 1960 e que, a partir do final desta, passariam a ser a sua maneira predominante de interpretar as canções, com gravações mais espaçadas do estilo que lhe consagrou, até por uma imposição do mercado que, àquela altura, apresentava forte concorrência com o lançamento de novos estilos mundo afora.


A partir de meados da década de 1970, reduziu seus cantores de 24 para 8 vozes, sem que perdesse em qualidade sonora ou comprometesse seu estilo. Na década de 1980/1990, voltou-se de vez para o mercado latino, tendo gravado centenas de canções, incluindo algumas brasileiras, concentrando-se basicamente no repertório musical de Roberto Carlos e de Julio Iglesias. Ainda assim, lançou álbum de trilhas sonoras de filmes americanos e que incluíam sucessos como Titanic, Superman, A Bela e a Fera, etc e outro com cantores do estilo country americano.
Ray Conniff permanecia vindo ao Brasil quase que anualmente, tal era o seu sucesso até sua última tour por essas terras, no ano 2001, na qual ainda revelava muita alegria e disposição e era ovacionado por enorme platéia onde quer que fosse.

 Durante vários anos, quando se apresentava em São Paulo, ficava sempre hospedado no Hotel Eldorado Higienópolis, e ali, durante toda temporada, convivia diariamente com os moradores da região, pois frequentava a lanchonete sorriso que há em frente ao hotel até hoje; conversava com todos os frequentadores do local e ainda atendia aos fãns.
Para tristeza de todos os amantes da boa música, Ray sofreu um derrame cerebral em abril de 2002, tendo se recuperado do mesmo, chegando a fazer planos de voltar ao Brasil, quando foi surpreendido por outro derrame, na saída de um restaurante, no qual almoçara com a família, e que naquele dia 12 de outubro de 2002 lhe roubaria a vida.
Encontra-se sepultado em Westwood Memorial Park, Los Angeles, Condado de Los Angeles, Califórnia nos Estados Unidos. Sua última canção gravada foi "Nossa Senhora" de Roberto Carlos.


DISCOGRAFIA

    1956 - "'s Wonderful!"
    1957 - "Dance the Bop!"
    1957 - "'s Marvelous"
    1958 - "'s Awful Nice"
    1958 - "Concert in Rhythm, Vol.1"
    1958 - "Broadway in Rhythm"
    1958 - "Hollywood in Rhythm"
    1959 - "It's The Talk of the Town"
    1959 - "Conniff Meets Butterfield"
    1959 - "Christmas with Conniff"
    1959 - "Concert in Rhythm, Vol.2"
    1960 - "Young at Heart"
    1960 - "Say It with Music (A Touch of Latin)"
    1960 - "Memories Are Made of This"
    1961 - "Somebody Loves Me"
    1961 - "'S Continental"
    1962 - "So Much in Love"
    1962 - "Rhapsody in Rhythm"
    1962 - "We Wish You a Merry Christmas"
    1962 - "The Happy Beat"
    1963 - "You Make Me Feel So Young"
    1963 - "Speak to Me of Love"
    1964 - "Friendly Persuasion"
    1964 - "Invisible Tears"
    1965 - "Love Affair"
    1965 - "Music From 'Mary Poppins', 'The Sound of Music', 'My Fair Lady' & Other Great Movie Themes"
    1965 - "Here We Come A-Caroling"
    1965 - "Happiness Is"
    1966 - "Ray Conniff's World of Hits"
    1966 - "En Español (The Ray Conniff Singers Sing It in Spanish)"
    1967 - "This Is My Song"
    1967 - "Ray Conniff's Hawaiian Album"
    1967 - "It Must Be Him"
    1968 - "Honey"
    1968 - "Turn Around Look at Me"
    1968 - "I Love How You Love Me"
    1969 - "Live Europa Tournee 1969/Concert in Stereo"
    1969 - "Jean"
    1969 - "Concert In Stereo: Live At 'The Sahara Tahoe'"
    1970 - "Bridge Over Troubled Water"
    1970 - "We've Only Just Begun"
    1970 - "Love Story"
    1971 - "Great Contemporary Instrumental Hits"
    1971 - "I'd Like to Teach the World to Sing"
    1972 - "Love Theme from "The Godfather"
    1972 - "Alone Again (Naturally)"
    1972 - "I Can See Clearly Now"
    1973 - "Ray Conniff in Britain"
    1973 - "You Are the Sunshine of My Life"
    1973 - "Harmony"
    1973 - "The Way We Were"
    1974 - "The Happy Sound of Ray Conniff"
    1974 - "Ray Conniff In Moscow"
    1975 - "Laughter in the Rain"
    1975 - "Another Somebody Done Somebody Wrong Song"
    1975 - "Love Will Keep Us Together"
    1975 - "I Write the Songs"
    1975 - "Live in Japan"
    1976 - "Send in the Clowns"
    1976 - "Theme from "S.W.A.T." and Other TV Themes"
    1976 - "After the Lovin'"
    1977 - "Exitos Latinos"
    1978 - "Ray Conniff Plays the Bee Gees and Other Great Hits"
    1979 - "I Will Survive"
    1980 - "The Perfect '10' Classics"
    1980 - "Exclusivamente Latino"
    1981 - "Siempre Latino"
    1982 - "The Nashville Connection"
    1982 - "Musik für Millionen"
    1982 - "Amor Amor"
    1983 - "Fantastico"
    1984 - "Supersonico"
    1985 - "Campeones"
    1986 - "Say You Say Me"
    1986 - "30th Anniversary Edition"
    1987 - "Always in My Heart"
    1988 - "Interpreta 16 Exitos De Manuel Alejandro"
    1990 - "Ray Conniff Plays Broadway"
    1991 - "'S Always Conniff"
    1993 - "Latinisimo"
    1995 - "40th Anniversary"
    1997 - "Live in Rio (aka Mi Historia)"
    1997 - "I Love Movies"
    1998 - "My Way"
    1999 - "'S Country"
    1999 - "'S Christmas"
    2000 - "Do Ray Para O Rei" (2000)'

QUEM NUNCA DANÇOU ESTA,   AH!!... BONS TEMPOS

terça-feira, 10 de julho de 2012

domingo, 8 de julho de 2012

BAT MASTERSON Seriado



Bat Masterson era uma série de TV do gênero western, baseado num personagem da vida real, produzida pela ZIV Television Programs Inc., distribuído pela National Broadcasting Company (NBC), produzido por Frank Pittman, Andy White, Frederick W.Ziv, entre outros e a edição de som ficou ao cargo de Jim Bullock. Foi apresentado pela rede NBC de 8 de outubro de 1958 a 1 de junho de 1961, num total de 108 episódios em branco e preto, divididos em 3 temporadas.

A série tinha somente Gene Barry como personagens fixo e regular, além de Bill Baldwin que fazia a narração do espetáculo. Os outros personagens consistiam em artistas convidados que  no máximo permaneciam alguns capítulos. Gene Barry ficou muito famoso por interpretar o personagem Bat Masterson. Os episódios relatavam as aventuras de Bat pelas cidades do velho oeste, sempre acompanhado de belas mulheres e defendendo os oprimidos. 
Bat Masterson era elegante, cavalheiro e sempre se vestia impecavelmente de casaca, sem esquecer, é claro, seu chapéu e a bengala que servia para bater nos adversários que trapaceavam no jogo, exploravam os fracos ou ameaçavam as donzelas. Aliás, o chapéu coco e a bengala eram sua marca registrada. No Brasil esta série foi apresentada inicialmente pela TV Tupi de São Paulo por volta de 1960 e depois passou a ser reprisado em outros canais de televisão. 
Além da televisão Bat Masterson foi lançado numa série de histórias em quadrinhos publicadas pela Ebal na década de 60 e também dentro da revista Aí Mocinho e no almanaque Reis do Faroeste, nos anos 70. A música tema ficou famosa no Brasil, sendo que a versão para o português foi um dos maiores sucessos do cantor Carlos Gonzaga..

quinta-feira, 5 de julho de 2012

quarta-feira, 4 de julho de 2012

THE YARDBIRDS

The Yardbirds foi uma das mais importantes bandas de blues-rock da Inglaterra nos anos 60. Além da qualidade do seu trabalho, ficou famosa por ter tido três dos melhores guitarristas de todos os tempos em sua formação, sucessivamente, Eric Clapton, Jeff Beck e Jimmy Page. O grupo surgiu em Londres em 1963, mas só tornou-se conhecido quando Clapton entrou para a banda.


Nesta época, segundo o próprio Eric Clapton, eram cinco os integrantes que compunham o grupo: Keith Relf nos vocais e gaita, Chris Dreja na Guitarra Base, Paul Samwell-smith no Baixo e Jim McCarty na Bateria.

Fazendo covers do blues de Chicago, mas também investindo num estilo próprio, o Yardbirds chegaram as paradas inglesas com a canção "For your love" (1964), que investia num estilo mais pop. Isto desagradou a Eric Clapton, na época um purista do blues, que deixou a banda. Em seu lugar entrou Jeff Beck, que levou o grupo para uma "guinada" psicodélica e em 1966, Jimmy Page foi convidado para entrar no grupo. Pouco depois, Beck saiu e Page assumiu a liderança do conjunto. A síntese "blues-rock" de 1965-1966 chamou a atenção da crítica, mas não conseguiram grande sucesso comercial.



As divergências sobre que rumos a banda deveria tomar ocasionaram o seu fim. Jimmy Page ainda formaria em 1968 o New Yardbirds, banda que, mais tarde, mudaria seu nome para Led Zeppelin.

Discografia
    Five Live Yardbirds (1964)
    For Your Love (1965)
    Having a Rave Up (1966)
    Sonny Boy Williamson & the Yardbirds(1966)
    Roger the Engineer (1966)
    Over, Under, Sideways, Down (1966)
    The Yardbirds (1966)
    Little Games (1967)
    Live Yardbirds Featuring Jimmy Page (1971)
    BBC Sessions (1997)
    Ultimate! (2001)
    Birdland (2003)
    Live! Blueswailing July ’64 (2003)
    Married with the Crammy (2004)
    Yardbirds live in the B. B. King Blues Club
(2006)