quarta-feira, 20 de junho de 2012

THE SUPREMES

The Supremes foi um bem sucedido grupo feminino da Motown ativo de 1959 a 1977. Apresentava vários estilos musicais, como doo-wop, pop, soul, psicodelia e disco.
Uma das marcas registradas da Motown, The Supremes foi o mais famoso grupo musical negro dos anos 60, conhecida inicialmente como “Primettes”, por volta de 1959, era uma banda vocal formada por: Barbara Martin, Diana Ross, Florence Ballard e Mary Wilson, emplacando 20 sucessos no Hot 100 da Billboard entre 1964 e 1969, muitos deles escritos e produzidos pelo principal time criativo da Motown, Holland-Dozier-Holland. O sucesso das Supremes durante essa época pavimentou o caminho para que futuros artistas de soul e R&B ganhassem as platéias dos Estados Unidos e de diversos países.
Um ano depois, no início de 1962, uma das componentes abandona o quarteto, que se transforma em trio e acaba virando “The Supremes”...
Este foi o maior grupo vocal de negros dos anos 60. Lançaram moda, influenciaram no comportamento das pessoas, e sendo assim, quase todas as mulheres negras do mundo queriam ter o cabelo de Diana Ross, usar os brincos pingentes das “Supremes” e seus vestidos “tubinho”, sapatos de salto médio e bico-de-pato...
Era só ligar um rádio em qualquer parte do mundo e você possivelmente fosse ouvir “Baby Love”, ou “Where did our love go”, ou ainda “Come see about me” e ainda “Stop in the name of love!”...
Um aspecto importante da existência das “Supremes”, é seu pioneirismo, pois elas abrem caminho para um sem-número de bandas semelhantes do R&B e da Soul Music.

 Mas, querendo ou não, em todo grupo algum componente sempre se destaca, por esta ou aquela razão....e Diana Ross, acabou se destacando e virando a “lead-vocal”.
Tanto é, que Berry Gordy,Jr., presidente da Motown rebatiza o grupo como “Diana Ross & the Supremes” em 1967, e como era mais ou menos previsível, em 1969 já se ouve comentários e especulações sobre uma possível carreira-solo de Diana Ross.

 Dreamgirls é a adaptação de uma peça homônima da Broadway.  O musical conta de forma “disfarçada” a história do grupo The Supremes, que fez grande sucesso na década de 60. O filme substitui nomes de pessoas e o nome da gravadora das cantoras, mas as semelhanças são propositalmente gritantes.


Mas o legado das “Supremes” é inegável, pois elas lançaram e acabaram inovando todo um visual coreográfico de show, o que funcionou muitíssimo bem nas televisões do mundo inteiro e nos palcos, até os dias de hoje.
Discos no Top Ten britânico e norte-americano Nove álbuns das Supremes, listados abaixo, entraram para a parada Top 10 tanto nos EUA quanto no Reino Unido. Além deles, houve também inúmeros compactos.
1964: Where Did Our Love Go (#2)
1965: More Hits By The Supremes (#6)
1965: Merry Christmas (#6)
1966: I Hear a Symphony (8)
1966: The Supremes A’ Go-Go (#1)
1967: The Supremes Sing Holland-Dozier-Holland (#6)
1967: Diana Ross & the Supremes Greatest Hits, Vols. 1 & 2 (#1)
1968: Diana Ross & the Supremes Join the Temptations (#2)
1968: TCB (com o The Temptations) (#2)

Nenhum comentário:

Postar um comentário