quinta-feira, 28 de abril de 2011

A MÚSICA DOS ANOS 70


A música popular foi o que melhor retratou a diversidade e as transformações da cultura jovem nos anos 70. A década que começou com o fim dos Beatles teve uma fase megalomaníaca do rock. O heavy metal e o progressivo eram as vertentes em alta e suas canções estavam cada vez mais sofisticadas, com virtuosismos que flertavam com a música erudita. Bandas, como Led Zeppelin, Pink Floyd e Genesis, faziam concertos grandiosos, em mega turnês.

Pink Floyd



O álbum "The Dark Side of the Moon", do Pink Floyd, foi um dos grandes sucessos de vendagem e execução da primeira metade dos anos 70

Enquanto isso, um novo estilo de rock, andrógino, teatral e cheio de glamour surgia nas canções e performances de David Bowie, T-Rex e Roxy Music. Separados, os ex-Beatles começavam novas bem-sucedidas carreiras. Recuperados da morte de Brian Jones e dos incidentes de Altamont, os Rolling Stones lançavam alguns de seus melhores álbuns com sua mistura de rock e rhythm’n’blues.

Marvin Gaye



Marvin Gaye e outros expoentes da black
music influenciaram o pop dos anos 70
Fora do rock, a black music que emergiu nos anos 60 dava o tom da música pop, com sucessos românticos, dançantes, mas também carregados de protestos sociais, de Marvin Gaye, Sly & the Family Stone e James Brown. Outros artistas pop começaram a se destacar, misturando rocks e baladas, como Elton John, Peter Frampton e Rod Stewart.

No Brasil, um tipo de canção de protesto disfarçada, por conta da censura, tinha como expoente a obra de Chico Buarque. E o tropicalismo ainda fazia eco nas canções de Caetano Veloso e outros artistas. Mas o que liderava as paradas e as vendagens eram as canções românticas do “rei” Roberto Carlos e os sucessos da música brega, uma vertente da canção popular extremamente sentimental composta e interpretada por artistas bem populares, como Odair José, Nelson Ned e Valdick Soriano.

Roberto Carlos

No Brasil, Roberto Carlos foi coroado como o "Rei" da
música popular com sua fase de canções românticas

Mas, na metade da década tudo mudou. No momento em que o Queen despontava como uma das maiores bandas do rock, os rumos da música jovem estavam mudando radicalmente. Cansados da filosofia hippie herdada dos anos 60, das canções “viajandonas” que não falavam de sua realidade e das posturas super pop stars das grandes bandas, parte da juventude nos EUA e no Reino Unido adotou o “faça você mesmo” como lema artístico e comportamental. Nascia o punk, com seu rock básico, acelerado e visceral e um visual soturno e agressivo, tendo como expoentes os Sex Pistols e os Ramones.


O surgimento do punk, retratado na publicação "Punk Magazine",
enterra um rock grandioso e faz o gênero renascer revigorado,
criativo e diversificado na segunda metade dos anos 70

Enquanto o punk chocava e causava uma ruptura, a música pop desaguava na disco music ou música de discoteca, baseada nos suingues da música negra e nos primeiros recursos da música eletrônica. A era da discoteca foi repleta de canções alto astral, feitas para dançar e descompromissadas, como mostram os sucessos de Donna Summer, Abba e KC & The Sunshine Band.

Studio 54


O filme "Studio 54" recria a atmosfera da mais famosa discoteca de Nova Iorque nos anos 70, freqüentada pelo artista multimídia Andy Warhol, pela vocalista Debbie Harry e pelo escritor Truman Capote, entre outras

O centro dessa nova subcultura jovem eram clubes noturnos com pistas de dança iluminadas por globos de espelhos e luzes estroboscópicas. Dançar sem parar, o uso de drogas, o erotismo e o florescer de uma cultura gay faziam parte da atmosfera da era da disco music. Enquanto o punk rompeu com a contracultura hippie para ser agressivo e niilista, a “era da discoteca” se opunha ao idealismo e coletivismo dos anos 60 com uma proposta hedonística, descompromissada e individualista.

Dancin Days




A novela "Dancin' Days" fez sucesso com a sua trama e com
uma trilha sonora que aproveitava a onda da disco music no Brasil

No Brasil, a onda da disco music se popularizou antes do movimento punk. Na segunda metade da década de 70, as discotecas brasileiras eram um dos principais centros de entretenimento. A febre da disco music se espalhou pelo país com os sucessos da novela “Dancin’ Days” da Rede Globo e o lançamento do filme “Os Embalos de Sábado à Noite”, com John Travolta. O fenômeno permitiu também o surgimento de uma versão brasileira da música de discoteca, com As Frenéticas, Lady Zu e Tim Maia. Uma versão mais popular e erotizada do gênero ficou por conta de artistas como Sidney Magal e Gretchen, que atualizaram o estilo brega para o ritmo da disco music.


Mas, mais do que a diversidade de gêneros que surgiram ou definharam nos anos 70, a marca dessa década foi a radical mudança de rumo que a música jovem deu.

UMA VIAGEM ATRAVÉS DA MÚSICA DOS ANOS 70




PARTE 2

quarta-feira, 20 de abril de 2011

ROCKABILLY


O QUE É ROCKABILLY?

Embora o rockabilly seja considerado como tendo surgido no início dos anos 50, quando Bill Haley começou a misturar jump blues com electric country, pode-se dizer que surgiu pelo desenvolvimento da música country dos anos 40 - com artistas como: Tennessee Ernie Ford (Smokey Mountain Boogie), Hank Williams (Rootie Tootie), e Merle Travis (Sixteen Tons).

"Rock Around The Clock", sucesso lançado por Bill Haley em 1954, foi o ponto de partida do estilo, e catapultou as carreiras de diversos artistas do rockabilly. No mesmo ano, entretanto,  Elvis Presley iniciou a verdadeira popularização do gênero com uma série de gravações lançadas pela Sun Records.

Já em 1958, face ao desaparecimento (precoce) de grande parte dos músicos, o rockabilly praticamente desapareceu da música popular norte-americana.

Nos anos 80, foi reacendido um breve interesse no rockabilly. Mais tarde, bandas mesclaram o estilo com o punk, formando um sub-gênero chamado de psychobilly.

Bandas actuais de rockabilly usam em suas apresentações componentes teatrais característicos dos anos 50: o Penteado da epoca, roupas Retrô e Vintage dos anos 50, o slap do contrabaixo, o Finger-Pickin' na Guitarra, acompanhados pelos fãs da epoca,denominados de Rockers e Pin-up's.

Em Portugal este movimento está presente e activo com bandas como os 49 special, Mean Devils, Texabilly Rockets e os Dixie Boys.

No Brasil, o gênero é promovido por algumas bandas, entre elas: Crazy Legs (em português) , Henry Paul Trio, Red Lights Gang, Alex Valenzi & The Hideaway Cats, Grilos Barulhentos, Big Fish Trio, CWBillys, etc.

DARREL HIGHAM  E JEFF BACK


JOHNNY BURNETTE




Para os amigos dos " Bons tempos"  20 tracks de Rockabilly



BAIXAR MÚSICAS

sexta-feira, 15 de abril de 2011

CADILLAC RECORDS


SINOPSE


Crônica do nascimento de uma das mais importantes gravadoras de black music americana, a Chess Records (aqui chamada de Cadillac), nos agitados anos de 1950 em Chicago. A história mostra os mais badalados nomes do gênero, como Little Walter, Willie Dixon, Howlin' Wolf, Etta James e Muddy Waters. No primeiro trailer do filme, uma cena mostra o encontro de jovens músicos brancos que se dizem fãs da estrela negra Muddy Waters. "Senhor Waters. Somos grandes fãs. Demos o nome de nossa banda por causa de uma de suas canções", diz um dos rapazes. Muddy Waters olha e responde: "Sim?" "Rolling Stone", explica um ainda jovem Keith Richards.
Cadillac Records é filme biográfico musical de 2008, escrito e dirigido por Darnell Martin. O filme explora a era musical desde o início dos anos 40 até o final dos anos 60, crónicas da vida da influente gravadora de Blues sediada em Chicago, a Chess Records, do executivo Leonard Chess, e de cantores que gravaram na mesma.



ASSISTA AQUI O TRAILER





sexta-feira, 8 de abril de 2011

SESSÃO DA TARDE NOS ANOS 70


Esta é a festa na praia que originou todas as outras! O filme original de Frankie Avalon e Annette Funicello que definiu a geração californiana e começou com surfe, biquíni e todo aquele balanço de quadris do rock'n'roll que deixou os EUA em choque. Nesta festa inaugural, que é uma "verdadeira delícia" (The New York Times), Bob Cummings, Dorothy Malone, Harvey Lembeck e Morey Amsterdam têm os papéis coadjuvantes e apresenta-se a lendária banda surfe da costa do sul Dick Dale and the Del-Tones.


                                                              DICK DALE


As férias de verão têm só significado para os adolescentes Frankie (Avalon) e Dolores (Funicello): fazer festa na praia com os amigos!



                                      FRANKIE AVALON E ANNNETTE FUNICELLO


Enquanto a turma cai na areia, um professor local indignado (Cummings) decide fazer os garotos parecerem depravados primários e acabar com a brincadeira deles. Mas a turma que adora se divertir supera todos os limites para dar uma lição no professor e ensinar algumas coisas sobre agito, olhares sedutores e passar a noite inteira dançando!






CLIPE COM DICK DALE & DEL TONES (1963)



sexta-feira, 1 de abril de 2011

DOO WOP



Doo-wop é um estilo de música vocal baseado no rhythm and blues. Surgiu inicialmente na comunidade negra norte-americana, na década de 1940, e tornou-se popular nos Estados Unidos durante as década de 50 e 60.
O estilo é caracterizado por um backing vocal harmonioso e suave - que muitas vezes os cantores faziam com a boca, imitando os próprios instrumentos musicais e que, frequentemente, repete onomatopeias.

Nos grupos vocais, cada cantor executava uma parte diferente da canção. Como não tinham dinheiro para comprar instrumentos musicais, a maior parte dos grupos desse estilo começou cantando o estilo A cappella - a "parte cantada" de cada canção.



O Doo wop entrou em declínio no início dos anos 1960, com a ascensão de novos estilos de rock and roll - especialmente da Invasão Britânica. Contudo, grupos brancos como Beach Boys, influenciados pelo jazz-vocal (The Four Freshmen, etc)  e doo wop,  mantiveram o estilo com bastante sucesso nos anos de 1960, modernizando-o com a surf music vocal e, pouco depois, com o pop sofisticado e a música psicodélica, com vocais cada vez mais trabalhados e complexos.

O doo wop foi de grande importância na construção da Soul Music, sobretudo na gravadora Motown.

No Brasil, o estilo foi representado por grupos como Golden Boys.






(Obs: Fonte  Wikipédia)



There"s a moon out tonight com The Roomates



A expressão máxima do DOO WOP  com The Alley Cats




Para  os amigos dos "Bons tempos" aqui vai um cd de doo wop, com as melhores da época.


BAIXAR CD