sábado, 25 de dezembro de 2010

ANOS 70 - DEMIS ROUSSOS



DEMIS ROUSSOS

Demis Roussos, nome artístico de Artemios Ventouris Roussos, (Alexandria, 15 de junho de 1946) é um cantor grego, nascido no Egipto. Artemios acabou sendo abreviado para Demis.

Filho de pais expatriados (George e Olga), tanto ele quanto os pais nasceram no Egito. Demis nasceu e foi criado em Alexandria. Três anos depois de nascimento nasceu seu irmão Costandinos. O cantor foi fortemente influenciado pela música árabe. Aos dez anos de idade, fã do estilo jazz, aprendeu a tocar trombeta. Depois que seus pais perderam tudo, a família voltou para a Grécia, após a Crise do Canal de Suez, quando Demis tinha quinze anos. Sua mãe, Olga, é mais conhecida pelo nome artístico de Nelly Mazloum.

A partir de então, Demis participou de vários grupos musicais. O primeiro, com dezessete anos, The Idols, quando ele tinha de trabalhar para sustentar sua família. Já nesse grupo Demis começou a destacar-se como cantor, a partir do momento no qual foi solicitado para substituir o vocalista, que estava cansado, para cantar algumas músicas (o que começou com “The House of the Rising Sun” e “When a Man Loves a Woman”).

Com o compositor Lakis Vlavianos, Roussos deu início à banda We Five, já como vocalista principal. Mas somente começou a ficar mais conhecido a partir de 1968, com a banda de rock progressivo Aphrodite's Child, formada no Reino Unido, para a qual Demis associou-se a outros dois músicos gregos, respectivamente, Vangelis (ou Vangelis Papatanassiou) e Loukas Sideras, primeiramente como vocalista e depois também como guitarrista e tocador de baixo. Vangelis ficou como compositor principal e tocador de teclados, enquanto Loukas cuidava da bateria. No entanto, por falta de permissão para trabalhar na Inglaterra, o grupo mudou-se para Paris, então atingida pela Revolução de Maio de 1968. O primeiro álbum foi Rain and Tears, o qual obteve tremendo sucesso e vendeu um milhão de discos apenas na França, ocasião na qual nasceu sua primeira filha, Emily. Nos próximos três anos o desempenho do grupo foi excelente. Com a voz de estilo de ópera de Roussos, a banda passou a ter sucesso em nível internacional, inclusive com 666, lançado em 1970. Logo após o lançamento dessa obra, por razões diversas, mas insistentemente pontuada pela mídia francesa como resistência dos cristãos da Europa à comparecerem aos shows, o que desencadeou uma múltipla série de cancelamento de agendas, decidiram acabar com o grupo.
Com o final do Aphrodite's Child, Demis continou gravando com Vangelis, seu ex-colega dessa banda. Publicaram os álbus Sex Power (1970), Magic Together (1977). A obra de maior sucesso da dupla foi Race to the End, vocalmente adaptada da trilha sonora do filme Chariots of Fire. Roussos também participou como convidado da trilha sonora do filme O Caçador de Andróides (Blade Runner) (1982), filme de culto considerado o melhor da década de 1980.

Como Roussos já era cantor de sucesso e principal vocalista do Aphrodite’s Child, a gravadora deu ao cantor a chance de gravar o seu primeiro compacto solo com a canção “We Shall Dance”. Logo a seguir ele gravou o álbum “On the Greek Side of My Mind”, o qual, juntamente com o mencionado compacto, estourou como os 5 discos mais vendidos em toda a Europa, inclusive a Escandinávia. Demis Roussos consagrou-se, então, como cantor em 1971. Pouco depois Roussos reencontrou-se com Lakis Vlavianos, ex-colega do We Five. Lakis então compôs e Roussos gravou várias canções que ocuparam o primeiro lugar nas paradas de sucessos de vários países, quais sejam, Forever And Ever, My Friend the Wind, Velvet Morning – também conhecida como Tric Tric Tric, entre outras. Destacaram-se também, na década de 1970, os sucessos My Reason; Goodbye, My Love, Goodbye; Someday e Lovely Lady of Arcadia. Ganhou um discou de ouro com seu LP “Demis”, o qual foi seu único sucesso nos Estados Unidos. Por outro lado, o cantor fez muito sucesso na Europa e na América Latina.

Após o nascimento do filho, Cyril, em 1975, o cantor grego ficou os próximos oito anos fazendo turnês pelo mundo afora, juntamente com sua segunda esposa e o filho. No Brasil, conseguir lotar o estádio Maracanã com capacidade para 150.000 pessoas, façanha apenas conseguida por ele e Frank Sinatra. Foi citado no Livro de Recordes de Guinnes como personalidade de destaque do mundo do entretenimento musical das décadas de 70 e 80. Emplacou mais de 100 discos de ouro, platina e diamante.

Em 1978, Demis decidiu-se aposentar-se por algum tempo, e mudou-se com a família para um lugar onde não era conhecido, a saber, Malibu Beach, na Califórnia (EUA). Ele emagreceu então 120 libras e partiu para aproveitar a vida viajando pelo mundo. Depois de algum tempo, ainda no estilo de vida pacata, mudou-se dos EUA e, com seu filho Cyril, alternava-se entre a Inglaterra e a Grécia.

Em 14 de junho de 1985 ocorreu um fato que Demis considerou como um divisor de águas em sua vida: juntamente com sua terceira esposa, o avião da TWA no qual viajavam de Atenas a Roma foi seqüestrado. O fato de ver a morte de perto levou o cantor a refletir sobre o valor da vida, com o que decidiu a reassumir sua carreira de cantor, com gravações e shows ao vivo, como forma de contribuir para um futuro melhor para a humanidade. Gravou então mais vinte canções, como também compilou o álbum “The Story of Demis Roussos”. Paralelamente, Roussos participou de eventos voltados para soluções de problemas humanos, como, por exemplo, o fórum pela paz e desarmamento (Kremlin, Moscou, em fevereiro de 1987) . Preocupado com problemas ambientais, participou também da Reunião de Cúpula da Terra, no Rio de Janeiro.

A partir de 2004, Demis Roussos vive uma vida mais sossegada à beira mar em algum lugar da Grécia, gozando os louros de ser considerado como um dos cantores mais talentosos do século XX.

Em 2005, após 25 anos, Demis Roussos retornou ao Brasil e faz três apresentações.

FONTE: Wikipédia, a enciclopédia livre.


quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

FELIZ NATAL


"Bons tempos" deseja a todos um feliz natal e um próspero ano novo.


domingo, 12 de dezembro de 2010

BOOK OF LOVE ( 1991 )



Um adolescente nos anos 50 se muda  para uma nova vizinhança e tem de lidar com todos os problemas que vêm com ele no presente, uma comédia da juventude dos anos 50.




quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

ROY ORBISON


Roy Kelton Orbison (23 de abril de 1936, Vernon – 6 de dezembro de 1988, Hendersonville, Tennessee), apelidado de “The Big O”, foi um influente cantor e compositor norte-americano e um dos pioneiros do rock and roll, e cuja carreira estendeu-se por mais de quatro décadas. Orbison foi internacionalmente reconhecido por suas baladas sobre amores perdidos, por suas melodias ritmicamente avançadas, seu timbre vocal de três oitavas, seus característicos óculos escuras e um ocasional uso de falsete, tipificado nas canções como “Only The Lonely”, “Oh, Pretty Woman” e “Crying”. Em 1988 foi incluido postumamente na galeria da Fama de compositores de música.

Roy Orbison nasceu no dia 23 de abril de 1936 em Vernon, no Texas, Estados Unidos. Seus pais Orbie Lee e Nardine, deram sua primeira guitarra quando tinha 6 anos de idade. Como era de se esperar, para um jovem morando no Texas, suas influências musicais foram o gospel e o country.

Estimulado pelo pai e pelo tio, Roy começou a cantar em shows e no rádio antes dos dez anos de idade. Aos dez, ele recebeu seu primeiro pagamento como cantor num concurso de talentos. No começo de sua adolescência, ele já viajava pelo Texas. Sua primeira banda, aos treze anos, foi The Wink Westerners formada por amigos de escola. Depois ele mudou para The Teen King. Roy Orbison estudou o primeiro grau em escolas de Vernon, Fort Worth e Wink, no Texas. Ele fez o colegial na Wink High School de 1950 a 1954.

Suas apresentações ao vivo fizeram entrar em contato com Johnny Cash, que aconselhou Roy a mandar uma cópia de “Ooby Dooby” para a Sam Phillips da Sun Records, gravadora de Elvis Presley e Jerry Lee Lewis. Em junho de 1956, estava gravado o seu primeiro grande sucesso, “Ooby Dooby”, vendendo 20.000 cópias. À princípio pretendia ser apenas um compositor de rock, mas com o tempo, decidiu gravar suas próprias canções e impressionou o mundo com sua voz forte e frequentemente preferindo permanecer em tons agudos.

Roy Orbison, assim como aconteceu com seu amigo Elvis Presley, foi confundido, no início de sua carreira, por disc jockeys e por quem ouvia sua músicas, como um cantor negro, devido ao seu tipo de voz. O primeiro grupo famoso à gravar uma música de Roy foi The Everly Brothers: “Claudette”, uma de suas primeiras composições e que Roy dedicou à sua primeira esposa, em 1958.

Alguns anos depois, Roy Orbison, como em agradecimento aos Everly Brothers, gravou dois de seus grandes sucessos: “Bye Bye Love” no seu álbum Lonely & Blue, em 1960 e “All I Have To Do is Dream”, no seu álbum In Dreams, em 1963. Ainda com relação à gravação de Claudette, Roy Orbison usou seus direitos autorais resultantes deste sucesso para livrá-lo do contrato com a SUN RECORDS e assinar com a gravadora Monument. Sua primeira gravação Up Town, em 1960, já constava da lista de sucessos dos Estados Unidos. Neste mesmo ano, sua canção “Only The Lonely” foi rejeitada por Elvis Presley e os Everly Brothers e Orbison decidiu ele mesmo gravar. O resultado foi sensacional: a canção atingiu o topo das paradas da Inglaterra e por pouco não chegou ao ponto máximo dos EUA, vendendo dois milhões de discos.

Comenta-se que Roy Orbison, uma pessoa tímida e de poucas palavras, usava óculos escuros para corrigir o seu astigmatismo crônico. Ainda na década de 60, gozou de sucesso sem precedentes, tanto na Inglaterra como nos EUA, usando seu estilo de baladas românticas como “Blue Angel”, “Running Scared”, “Crying”, “Dream Baby”, “Blue Bayou” e “In Dreams” . Mesmo durante o sucesso dos Beatles (de quem tornou-se amigo) na América, Orbison foi um dos poucos artistas americanos que manteve seu sucesso comercial.

Durante o auge dos Beatles nas paradas de sucesso, ele foi por duas vezes o número um na Inglaterra com o poderoso “It’s Over” e o seu maior sucesso “Oh, Pretty Woman”, vendendo 7 milhões de discos em 1964. Sua fama era tão grande, que os Beatles se sentiram orgulhosos por terem feito uma turnê com ele em 1963 (existe o comentário de que música Please Please Me teve grande influência do estilo de Roy Orbison). Roy considerava a Inglaterra sua segunda pátria, consequência de seu grande sucesso naquele país e das turnês frequentes que lá ele fazia.

Em 1965, Roy Orbison assinou com a MGM, pensando na possibilidade de ser um ator de cinema, como foi Elvis Presley. De fato, ele chegou a gravar um filme em 1968: The Fastest Guitar Alive, no entanto, de pouco sucesso. Roy Orbison sempre gostou de música country e nunca escondeu sua admiração pelo cantor e compositor Don Gibson. Tanto é assim, que em 1967 Roy gravou um álbum chamado Roy Orbison Sings Don Gibson, o que se tornou algo inédito, pelo fato de Roy ser o autor da maioria de suas canções gravadas. Apenas para lembrar, Roy gravou, de autoria de Don Gibson: “I Can’t Stop Loving You”, “I’d Be a Legend in My Time”, “Too Soon to Know”, entre outros.

Roy Orbison sofreu grande tragédia em sua vida, quando em 1966, sua esposa Claudette Frady morreu num acidente ao cair do banco traseiro de sua moto e em 1968, quando um incêndio destruiu sua casa, matando dois de seus três filhos (Roy Duwayne Orbison e Anthony King Orbison).

Roy Orbison se casaria novamente, em 1969, com Barbara Orbison. Os anos que se seguiram foram tempos obscuros em sua carreira. Na década de 70, além de passar por problemas financeiros, sofreu uma operação do coração em 1979, e só foi relançado em 1980, quando conquistou um Grammy pelo seu dueto com Emmylou Harris na música “That Lovin’ You Fellin’ Again”, do filme Roadie. Em 1986, seu outro sucesso, “In Dreams”, fez parte da trilha sonora do filme Blue Velvet (Veludo Azul).

Em 1987 Roy Orbison foi incluído no Hall da Fama do Rock’n Roll e nesta cerimônia ele cantou “Oh, Pretty Woman” com Bruce Springsteen. Neste mesmo ano, Orbison assinou contrato com a Virgin Records, onde regravou todos seus sucessos, pois muitas das gravações originais estavam “presas” devido ao processo de falência. O resultado foi o álbum In Dreams. Em 1988, Roy ganhou o Grammy pelo dueto com K.D.Lang na música “Crying”. Em 1988 produziu o álbum e o vídeo A Black And White Night (Roy Orbison and Friends) onde aparecem vários astros da música, como Bruce Springsteen, Tom Waits e Elvis Costello.

Neste mesmo ano juntou-se a George Harrison, Bob Dylan, Tom Petty e Jeff Lynne formando os Traveling Wilburys. No entanto, nesta banda, eles não revelaram seus nomes verdadeiros e diziam que era composta por quatro irmãos (Roy, neste caso, era conhecido como Lefty Wilbury). O lançamento deste álbum foi esplêndido a conquistaram o Grammy em 1989. Todos esperavam que a carreira de Roy Orbison estouraria novamente, quando sofreu um ataque cardíaco fatal, em Nashville.

O lançamento do disco Mystery Girl, finalizado postumamente em 1989, foi considerado pela crítica como o mais bem sucedido álbum de toda sua careira, não simplesmente como uma homenagem póstuma mas pelo fato deste disco conter canções que mostravam um homem descontraído e com uma voz que nunca havia soado melhor, como por exemplo “You Got It”, “She’s a Mistery to Me”, “Califórnia Blue”, “A Love So Beautiful”, “In The Real World”, “The Comedians”, etc. Em 1992, foi lançado o álbum King of Hearts, contendo algumas músicas inéditas.

Sobre este álbum, Barbara Orbison comentou: “Uma das perguntas que me faziam nestes três últimos anos, era se Roy havia deixado material suficiente para mais um álbum. Este disco, é a resposta”. Roy Orbison ficou conhecido como o lendário Big “O”. Alguns de seus sucessos foram temas de filmes, como Wild Heart (Insignificance), In Dreams (Veludo Azul), Oh, Pretty Woman (Uma Linda Mulher), Crying, em dueto com K.D.Lang (Hiding Out) e A Love So Beautiful (Proposta Indecente).

É fantástico ver a legião que Roy nos deixou e como o mundo reconheceu. Em 1989, Roy e k. d. lang ganharam o Grammy pelo dueto de Crying. Em fevereiro de 1990, o Roy Orbison Tribute Concert to Benefit the Homeless (Concerto em Tributo a Roy Orbison em Benefício aos Desabrigados) reuniu vários músicos. Don Was, Gary Busey, Dean Stockwell, Patrick Swayze, Bernie Taupin, The Original Byrds (David Crosby, Chris Hillman and Roger McQuinn), Cindy Bullens, T-Bone Burnett, Johnny Cash, Bob Dylan, Chris Frantz, Larry Gatlin, Emmylou Harris, John Hiatt, John Lee Hooker, Chris Isaak, B. B. King, k. d. lang, Michael McDonald, NRBQ, Iggy Pop, Bonnie Raitt, Michelle Shocked, Ricky Skaggs, Stray Cats, Pete Townsend, Was (Not Was), Dwight Yoakam and Tina Weymouth lembraram Roy cantando suas músicas. No final de 1990, Roy entrou para o Songwriters Hall Of Fame (Hall da Fama dos Compositores). No mesmo ano, You Got It e Mystery Girl foram grandes sucessos no mundo todo.

Em 1991, Roy recebeu um Grammy por “Oh, Pretty Woman” do álbum A Black and White Night Live, um show ao vivo com a presença de Jackson Browne, T-Bone Burnett, Elvis Costello, k. d. lang, Bonnie Raitt, Steven Soles, J. D. Souther, Bruce Springsteen, Tom Waits and Jennifer Warnes. Esse ano, duas músicas de Roy estiveram entre as vinte melhores no Reino Unido. Ele tem estado nas paradas por mais de quatro décadas. Inacreditável para um homem que quando perguntavam como gostaria de ser lembrado simplesmente respondia, “Eu só gostaria de ser lembrado.”

Em novembro de 1996, outro álbum, The Very Best of Roy Orbison, foi lançado. Neste disco estão todos os grandes sucessos, desde o começo de sua carreira até o final. Roy Orbison está enterrado no Westwood Memorial Park em Los Angeles, Califórnia. Seu túmulo está sem identificação, porém, os registros do cemitério indicam que está na seção D, número 97.

Curiosidades

O falecido Beatle George Harrison caiu de joelhos e implorou para que Roy Orbison se juntasse aos Traveling Wilburys. Harrison e Jeff Lynne fundaram o supergrupo no final dos anos 80 e acabaram por convidar Orbison, Bob Dylan e Tom Petty para integrar a banda. A esposa de Orbison, Barbara, lembra o momento em que Harrison ofereceu ao autor de “Oh, Pretty Woman” a chance de se juntar ao grupo, após um concerto: “quando Roy saiu do palco, ao final do show, George se ajoelhou a seus pés. Foi muito engraçado. Ele disse: ‘nós queremos formar uma banda e nós queremos que você faça parte dela. Topa?’ E Roy disse sim”.


domingo, 5 de dezembro de 2010

Shadows - Wonderful Land (From "The Final Tour" DVD)





Formado pelas guitarras de Hank Marvin (solo) e Bruce Welch (ritmo) mais Terry "Jet" Harris no baixo e Tony Meham na bateria, The Shadows era uma aula de simplicidade com riffs pegajosos e os solos estupendamente cristalinos de Hank Marvin. Era água de cascata, pai e mãe da surf music e de tudo que veio depois.

Não tem distorção, não tem escalas estratosféricas, só um "uila ula" deslizante, onde os arpejos e solinhos deliciosos de Marvin fazem pensar que Haiti que nada, o Havaí é que é aqui com caipirinha do abacaxi e tudo. Tá cafona? Tá escapista? Então tá, o último não esqueça de ascender à luz.