sábado, 25 de dezembro de 2010

ANOS 70 - DEMIS ROUSSOS



DEMIS ROUSSOS

Demis Roussos, nome artístico de Artemios Ventouris Roussos, (Alexandria, 15 de junho de 1946) é um cantor grego, nascido no Egipto. Artemios acabou sendo abreviado para Demis.

Filho de pais expatriados (George e Olga), tanto ele quanto os pais nasceram no Egito. Demis nasceu e foi criado em Alexandria. Três anos depois de nascimento nasceu seu irmão Costandinos. O cantor foi fortemente influenciado pela música árabe. Aos dez anos de idade, fã do estilo jazz, aprendeu a tocar trombeta. Depois que seus pais perderam tudo, a família voltou para a Grécia, após a Crise do Canal de Suez, quando Demis tinha quinze anos. Sua mãe, Olga, é mais conhecida pelo nome artístico de Nelly Mazloum.

A partir de então, Demis participou de vários grupos musicais. O primeiro, com dezessete anos, The Idols, quando ele tinha de trabalhar para sustentar sua família. Já nesse grupo Demis começou a destacar-se como cantor, a partir do momento no qual foi solicitado para substituir o vocalista, que estava cansado, para cantar algumas músicas (o que começou com “The House of the Rising Sun” e “When a Man Loves a Woman”).

Com o compositor Lakis Vlavianos, Roussos deu início à banda We Five, já como vocalista principal. Mas somente começou a ficar mais conhecido a partir de 1968, com a banda de rock progressivo Aphrodite's Child, formada no Reino Unido, para a qual Demis associou-se a outros dois músicos gregos, respectivamente, Vangelis (ou Vangelis Papatanassiou) e Loukas Sideras, primeiramente como vocalista e depois também como guitarrista e tocador de baixo. Vangelis ficou como compositor principal e tocador de teclados, enquanto Loukas cuidava da bateria. No entanto, por falta de permissão para trabalhar na Inglaterra, o grupo mudou-se para Paris, então atingida pela Revolução de Maio de 1968. O primeiro álbum foi Rain and Tears, o qual obteve tremendo sucesso e vendeu um milhão de discos apenas na França, ocasião na qual nasceu sua primeira filha, Emily. Nos próximos três anos o desempenho do grupo foi excelente. Com a voz de estilo de ópera de Roussos, a banda passou a ter sucesso em nível internacional, inclusive com 666, lançado em 1970. Logo após o lançamento dessa obra, por razões diversas, mas insistentemente pontuada pela mídia francesa como resistência dos cristãos da Europa à comparecerem aos shows, o que desencadeou uma múltipla série de cancelamento de agendas, decidiram acabar com o grupo.
Com o final do Aphrodite's Child, Demis continou gravando com Vangelis, seu ex-colega dessa banda. Publicaram os álbus Sex Power (1970), Magic Together (1977). A obra de maior sucesso da dupla foi Race to the End, vocalmente adaptada da trilha sonora do filme Chariots of Fire. Roussos também participou como convidado da trilha sonora do filme O Caçador de Andróides (Blade Runner) (1982), filme de culto considerado o melhor da década de 1980.

Como Roussos já era cantor de sucesso e principal vocalista do Aphrodite’s Child, a gravadora deu ao cantor a chance de gravar o seu primeiro compacto solo com a canção “We Shall Dance”. Logo a seguir ele gravou o álbum “On the Greek Side of My Mind”, o qual, juntamente com o mencionado compacto, estourou como os 5 discos mais vendidos em toda a Europa, inclusive a Escandinávia. Demis Roussos consagrou-se, então, como cantor em 1971. Pouco depois Roussos reencontrou-se com Lakis Vlavianos, ex-colega do We Five. Lakis então compôs e Roussos gravou várias canções que ocuparam o primeiro lugar nas paradas de sucessos de vários países, quais sejam, Forever And Ever, My Friend the Wind, Velvet Morning – também conhecida como Tric Tric Tric, entre outras. Destacaram-se também, na década de 1970, os sucessos My Reason; Goodbye, My Love, Goodbye; Someday e Lovely Lady of Arcadia. Ganhou um discou de ouro com seu LP “Demis”, o qual foi seu único sucesso nos Estados Unidos. Por outro lado, o cantor fez muito sucesso na Europa e na América Latina.

Após o nascimento do filho, Cyril, em 1975, o cantor grego ficou os próximos oito anos fazendo turnês pelo mundo afora, juntamente com sua segunda esposa e o filho. No Brasil, conseguir lotar o estádio Maracanã com capacidade para 150.000 pessoas, façanha apenas conseguida por ele e Frank Sinatra. Foi citado no Livro de Recordes de Guinnes como personalidade de destaque do mundo do entretenimento musical das décadas de 70 e 80. Emplacou mais de 100 discos de ouro, platina e diamante.

Em 1978, Demis decidiu-se aposentar-se por algum tempo, e mudou-se com a família para um lugar onde não era conhecido, a saber, Malibu Beach, na Califórnia (EUA). Ele emagreceu então 120 libras e partiu para aproveitar a vida viajando pelo mundo. Depois de algum tempo, ainda no estilo de vida pacata, mudou-se dos EUA e, com seu filho Cyril, alternava-se entre a Inglaterra e a Grécia.

Em 14 de junho de 1985 ocorreu um fato que Demis considerou como um divisor de águas em sua vida: juntamente com sua terceira esposa, o avião da TWA no qual viajavam de Atenas a Roma foi seqüestrado. O fato de ver a morte de perto levou o cantor a refletir sobre o valor da vida, com o que decidiu a reassumir sua carreira de cantor, com gravações e shows ao vivo, como forma de contribuir para um futuro melhor para a humanidade. Gravou então mais vinte canções, como também compilou o álbum “The Story of Demis Roussos”. Paralelamente, Roussos participou de eventos voltados para soluções de problemas humanos, como, por exemplo, o fórum pela paz e desarmamento (Kremlin, Moscou, em fevereiro de 1987) . Preocupado com problemas ambientais, participou também da Reunião de Cúpula da Terra, no Rio de Janeiro.

A partir de 2004, Demis Roussos vive uma vida mais sossegada à beira mar em algum lugar da Grécia, gozando os louros de ser considerado como um dos cantores mais talentosos do século XX.

Em 2005, após 25 anos, Demis Roussos retornou ao Brasil e faz três apresentações.

FONTE: Wikipédia, a enciclopédia livre.


quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

FELIZ NATAL


"Bons tempos" deseja a todos um feliz natal e um próspero ano novo.


domingo, 12 de dezembro de 2010

BOOK OF LOVE ( 1991 )



Um adolescente nos anos 50 se muda  para uma nova vizinhança e tem de lidar com todos os problemas que vêm com ele no presente, uma comédia da juventude dos anos 50.




quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

ROY ORBISON


Roy Kelton Orbison (23 de abril de 1936, Vernon – 6 de dezembro de 1988, Hendersonville, Tennessee), apelidado de “The Big O”, foi um influente cantor e compositor norte-americano e um dos pioneiros do rock and roll, e cuja carreira estendeu-se por mais de quatro décadas. Orbison foi internacionalmente reconhecido por suas baladas sobre amores perdidos, por suas melodias ritmicamente avançadas, seu timbre vocal de três oitavas, seus característicos óculos escuras e um ocasional uso de falsete, tipificado nas canções como “Only The Lonely”, “Oh, Pretty Woman” e “Crying”. Em 1988 foi incluido postumamente na galeria da Fama de compositores de música.

Roy Orbison nasceu no dia 23 de abril de 1936 em Vernon, no Texas, Estados Unidos. Seus pais Orbie Lee e Nardine, deram sua primeira guitarra quando tinha 6 anos de idade. Como era de se esperar, para um jovem morando no Texas, suas influências musicais foram o gospel e o country.

Estimulado pelo pai e pelo tio, Roy começou a cantar em shows e no rádio antes dos dez anos de idade. Aos dez, ele recebeu seu primeiro pagamento como cantor num concurso de talentos. No começo de sua adolescência, ele já viajava pelo Texas. Sua primeira banda, aos treze anos, foi The Wink Westerners formada por amigos de escola. Depois ele mudou para The Teen King. Roy Orbison estudou o primeiro grau em escolas de Vernon, Fort Worth e Wink, no Texas. Ele fez o colegial na Wink High School de 1950 a 1954.

Suas apresentações ao vivo fizeram entrar em contato com Johnny Cash, que aconselhou Roy a mandar uma cópia de “Ooby Dooby” para a Sam Phillips da Sun Records, gravadora de Elvis Presley e Jerry Lee Lewis. Em junho de 1956, estava gravado o seu primeiro grande sucesso, “Ooby Dooby”, vendendo 20.000 cópias. À princípio pretendia ser apenas um compositor de rock, mas com o tempo, decidiu gravar suas próprias canções e impressionou o mundo com sua voz forte e frequentemente preferindo permanecer em tons agudos.

Roy Orbison, assim como aconteceu com seu amigo Elvis Presley, foi confundido, no início de sua carreira, por disc jockeys e por quem ouvia sua músicas, como um cantor negro, devido ao seu tipo de voz. O primeiro grupo famoso à gravar uma música de Roy foi The Everly Brothers: “Claudette”, uma de suas primeiras composições e que Roy dedicou à sua primeira esposa, em 1958.

Alguns anos depois, Roy Orbison, como em agradecimento aos Everly Brothers, gravou dois de seus grandes sucessos: “Bye Bye Love” no seu álbum Lonely & Blue, em 1960 e “All I Have To Do is Dream”, no seu álbum In Dreams, em 1963. Ainda com relação à gravação de Claudette, Roy Orbison usou seus direitos autorais resultantes deste sucesso para livrá-lo do contrato com a SUN RECORDS e assinar com a gravadora Monument. Sua primeira gravação Up Town, em 1960, já constava da lista de sucessos dos Estados Unidos. Neste mesmo ano, sua canção “Only The Lonely” foi rejeitada por Elvis Presley e os Everly Brothers e Orbison decidiu ele mesmo gravar. O resultado foi sensacional: a canção atingiu o topo das paradas da Inglaterra e por pouco não chegou ao ponto máximo dos EUA, vendendo dois milhões de discos.

Comenta-se que Roy Orbison, uma pessoa tímida e de poucas palavras, usava óculos escuros para corrigir o seu astigmatismo crônico. Ainda na década de 60, gozou de sucesso sem precedentes, tanto na Inglaterra como nos EUA, usando seu estilo de baladas românticas como “Blue Angel”, “Running Scared”, “Crying”, “Dream Baby”, “Blue Bayou” e “In Dreams” . Mesmo durante o sucesso dos Beatles (de quem tornou-se amigo) na América, Orbison foi um dos poucos artistas americanos que manteve seu sucesso comercial.

Durante o auge dos Beatles nas paradas de sucesso, ele foi por duas vezes o número um na Inglaterra com o poderoso “It’s Over” e o seu maior sucesso “Oh, Pretty Woman”, vendendo 7 milhões de discos em 1964. Sua fama era tão grande, que os Beatles se sentiram orgulhosos por terem feito uma turnê com ele em 1963 (existe o comentário de que música Please Please Me teve grande influência do estilo de Roy Orbison). Roy considerava a Inglaterra sua segunda pátria, consequência de seu grande sucesso naquele país e das turnês frequentes que lá ele fazia.

Em 1965, Roy Orbison assinou com a MGM, pensando na possibilidade de ser um ator de cinema, como foi Elvis Presley. De fato, ele chegou a gravar um filme em 1968: The Fastest Guitar Alive, no entanto, de pouco sucesso. Roy Orbison sempre gostou de música country e nunca escondeu sua admiração pelo cantor e compositor Don Gibson. Tanto é assim, que em 1967 Roy gravou um álbum chamado Roy Orbison Sings Don Gibson, o que se tornou algo inédito, pelo fato de Roy ser o autor da maioria de suas canções gravadas. Apenas para lembrar, Roy gravou, de autoria de Don Gibson: “I Can’t Stop Loving You”, “I’d Be a Legend in My Time”, “Too Soon to Know”, entre outros.

Roy Orbison sofreu grande tragédia em sua vida, quando em 1966, sua esposa Claudette Frady morreu num acidente ao cair do banco traseiro de sua moto e em 1968, quando um incêndio destruiu sua casa, matando dois de seus três filhos (Roy Duwayne Orbison e Anthony King Orbison).

Roy Orbison se casaria novamente, em 1969, com Barbara Orbison. Os anos que se seguiram foram tempos obscuros em sua carreira. Na década de 70, além de passar por problemas financeiros, sofreu uma operação do coração em 1979, e só foi relançado em 1980, quando conquistou um Grammy pelo seu dueto com Emmylou Harris na música “That Lovin’ You Fellin’ Again”, do filme Roadie. Em 1986, seu outro sucesso, “In Dreams”, fez parte da trilha sonora do filme Blue Velvet (Veludo Azul).

Em 1987 Roy Orbison foi incluído no Hall da Fama do Rock’n Roll e nesta cerimônia ele cantou “Oh, Pretty Woman” com Bruce Springsteen. Neste mesmo ano, Orbison assinou contrato com a Virgin Records, onde regravou todos seus sucessos, pois muitas das gravações originais estavam “presas” devido ao processo de falência. O resultado foi o álbum In Dreams. Em 1988, Roy ganhou o Grammy pelo dueto com K.D.Lang na música “Crying”. Em 1988 produziu o álbum e o vídeo A Black And White Night (Roy Orbison and Friends) onde aparecem vários astros da música, como Bruce Springsteen, Tom Waits e Elvis Costello.

Neste mesmo ano juntou-se a George Harrison, Bob Dylan, Tom Petty e Jeff Lynne formando os Traveling Wilburys. No entanto, nesta banda, eles não revelaram seus nomes verdadeiros e diziam que era composta por quatro irmãos (Roy, neste caso, era conhecido como Lefty Wilbury). O lançamento deste álbum foi esplêndido a conquistaram o Grammy em 1989. Todos esperavam que a carreira de Roy Orbison estouraria novamente, quando sofreu um ataque cardíaco fatal, em Nashville.

O lançamento do disco Mystery Girl, finalizado postumamente em 1989, foi considerado pela crítica como o mais bem sucedido álbum de toda sua careira, não simplesmente como uma homenagem póstuma mas pelo fato deste disco conter canções que mostravam um homem descontraído e com uma voz que nunca havia soado melhor, como por exemplo “You Got It”, “She’s a Mistery to Me”, “Califórnia Blue”, “A Love So Beautiful”, “In The Real World”, “The Comedians”, etc. Em 1992, foi lançado o álbum King of Hearts, contendo algumas músicas inéditas.

Sobre este álbum, Barbara Orbison comentou: “Uma das perguntas que me faziam nestes três últimos anos, era se Roy havia deixado material suficiente para mais um álbum. Este disco, é a resposta”. Roy Orbison ficou conhecido como o lendário Big “O”. Alguns de seus sucessos foram temas de filmes, como Wild Heart (Insignificance), In Dreams (Veludo Azul), Oh, Pretty Woman (Uma Linda Mulher), Crying, em dueto com K.D.Lang (Hiding Out) e A Love So Beautiful (Proposta Indecente).

É fantástico ver a legião que Roy nos deixou e como o mundo reconheceu. Em 1989, Roy e k. d. lang ganharam o Grammy pelo dueto de Crying. Em fevereiro de 1990, o Roy Orbison Tribute Concert to Benefit the Homeless (Concerto em Tributo a Roy Orbison em Benefício aos Desabrigados) reuniu vários músicos. Don Was, Gary Busey, Dean Stockwell, Patrick Swayze, Bernie Taupin, The Original Byrds (David Crosby, Chris Hillman and Roger McQuinn), Cindy Bullens, T-Bone Burnett, Johnny Cash, Bob Dylan, Chris Frantz, Larry Gatlin, Emmylou Harris, John Hiatt, John Lee Hooker, Chris Isaak, B. B. King, k. d. lang, Michael McDonald, NRBQ, Iggy Pop, Bonnie Raitt, Michelle Shocked, Ricky Skaggs, Stray Cats, Pete Townsend, Was (Not Was), Dwight Yoakam and Tina Weymouth lembraram Roy cantando suas músicas. No final de 1990, Roy entrou para o Songwriters Hall Of Fame (Hall da Fama dos Compositores). No mesmo ano, You Got It e Mystery Girl foram grandes sucessos no mundo todo.

Em 1991, Roy recebeu um Grammy por “Oh, Pretty Woman” do álbum A Black and White Night Live, um show ao vivo com a presença de Jackson Browne, T-Bone Burnett, Elvis Costello, k. d. lang, Bonnie Raitt, Steven Soles, J. D. Souther, Bruce Springsteen, Tom Waits and Jennifer Warnes. Esse ano, duas músicas de Roy estiveram entre as vinte melhores no Reino Unido. Ele tem estado nas paradas por mais de quatro décadas. Inacreditável para um homem que quando perguntavam como gostaria de ser lembrado simplesmente respondia, “Eu só gostaria de ser lembrado.”

Em novembro de 1996, outro álbum, The Very Best of Roy Orbison, foi lançado. Neste disco estão todos os grandes sucessos, desde o começo de sua carreira até o final. Roy Orbison está enterrado no Westwood Memorial Park em Los Angeles, Califórnia. Seu túmulo está sem identificação, porém, os registros do cemitério indicam que está na seção D, número 97.

Curiosidades

O falecido Beatle George Harrison caiu de joelhos e implorou para que Roy Orbison se juntasse aos Traveling Wilburys. Harrison e Jeff Lynne fundaram o supergrupo no final dos anos 80 e acabaram por convidar Orbison, Bob Dylan e Tom Petty para integrar a banda. A esposa de Orbison, Barbara, lembra o momento em que Harrison ofereceu ao autor de “Oh, Pretty Woman” a chance de se juntar ao grupo, após um concerto: “quando Roy saiu do palco, ao final do show, George se ajoelhou a seus pés. Foi muito engraçado. Ele disse: ‘nós queremos formar uma banda e nós queremos que você faça parte dela. Topa?’ E Roy disse sim”.


domingo, 5 de dezembro de 2010

Shadows - Wonderful Land (From "The Final Tour" DVD)





Formado pelas guitarras de Hank Marvin (solo) e Bruce Welch (ritmo) mais Terry "Jet" Harris no baixo e Tony Meham na bateria, The Shadows era uma aula de simplicidade com riffs pegajosos e os solos estupendamente cristalinos de Hank Marvin. Era água de cascata, pai e mãe da surf music e de tudo que veio depois.

Não tem distorção, não tem escalas estratosféricas, só um "uila ula" deslizante, onde os arpejos e solinhos deliciosos de Marvin fazem pensar que Haiti que nada, o Havaí é que é aqui com caipirinha do abacaxi e tudo. Tá cafona? Tá escapista? Então tá, o último não esqueça de ascender à luz.



terça-feira, 30 de novembro de 2010

FILME " MISCHIEF" ( no Brasil " A primeira transa de Jonathan " )


SINOPSE

Em 1956, em uma pequena cidade, o introvertido e desajeitado Jonathan (Doug McKeon) é amigo do extrovertido e inconformado Gene (Chris Nash), que já morou em Chicago. O principal objetivo de Jonathan é conquistar a sexy Marilyn (Kelly Preston), apesar da timidez dele, enquanto Gene pretende manter sua vida sentimental com Bunny (Catherine Mary Stewart), sua namorada. Gene aconselha Jonathan em como atrair as mulheres, e Marilyn em especial, sendo que também tem que se defender de Kenny (D.W. Brown), um valentão da classe, enquanto tenta criar uma linha divisória de relacionamento com seu pai viúvo, que tem tolerância zero para suas armações. Gene é adorado por várias garotas e ensina para Jonathan alguns lições, mas o próprio Gene enfrenta um problema, pois em virtude de seu pai ser pobre os pais de Bunny não o aceitam.



domingo, 28 de novembro de 2010

PARA RECORDAR




Todo domingo, às 20h, as famílias brasileiras reuniam-se para acompanhar as peripécias de outra família: a Família Trapo. Encenado no Teatro Record, em São Paulo, o programa humorístico foi líder absoluto de audiência nos cinco anos em que esteve no ar, de 1967 a 1971. Criado por Jô Soares e Carlos Alberto de Nóbrega, era dirigido e produzido por Manoel Carlos, que passou a revezar as funções com Nilton Travesso e Tuta de Carvalho a partir de 1969.

O sucesso estrondoso provocou mudanças no segundo ano da série. Os autores escreveram um episódio em que a família ganhava na loteria e mudava-se para uma casa maior. Surgiu também um novo personagem, o mordomo Gordon, interpretado por Jô Soares.

Ao elenco, formado pelo pai, Pepino Trapo (Otelo Zeloni); pela mãe, Helena (Renata Fronzi); pela filha, Verinha (Cidinha Campos); e pelo irmão, Sócrates (Ricardo Corte Real), somavam-se diversos convidados especiais, como Pelé, Hebe Camargo e Elizeth Cardoso.

Mas quem roubava a cena era mesmo Ronald Golias, na pele do insolente tio Carlos Bronco Dinossauro.

Com o bordão ” Essa família vai mal!”, improvisava à vontade, freqüentemente deixando os colegas de cena atônitos. Momento histórico da nossa televisão, o seriado serve e serviu de inspiração para programas como Sai de Baixo, A Grande Família e Toma Lá, Dá Cá. Restaram pouquíssimas fitas com episódios de Família Trapo. Algumas se perderam em incêndios; outras foram reaproveitadas pela emissora para gravações de outros materiais.


sábado, 20 de novembro de 2010

DESENHOS ANIMADOS DOS "BONS TEMPOS"

Para os saudosistas de plantão, dentre os quais eu me incluo, que acreditam que não se fazem desenhos como antigamente… e acreditam que aqueles desenhos deveriam dominar o mundo!
É uma “pequena” seleção… ficaram alguns desenhos de fora!


JAILLHOUSE ROCK - ELVIS PRESLEY





Jailhouse Rock é o nome do terceiro filme de Elvis Presley de 1957 que tornou-se em um grande clássico da carreira do "rei do rock" e do próprio rock and roll no cinema. Este é o 2º filme de Elvis Presley da chamada "trilogia rebelde" que retratava Elvis como um jovem transgressor e incompreendido. Consolidada por King Creole, essa imagem teve seu início com o filme Loving You, que o retratava como um jovem talento em ascensão.
A cena, que é considerada antológica, onde ele mostra um número de dança na prisão apresentando a canção título do filme, foi coreografada pelo próprio Elvis; muitos a consideram um dos primeiros video-clipes da história do rock.
No ano de 2004, Jailhouse Rock entrou para o "Registro Nacional de Filmes" (United States National Film Registry) dos EUA, sendo introduzido assim, na eternidade do cinema norte-americano, por sua relevância cultural.
Em pelo menos duas oportunidades a famosa cena da prisão foi homenageada em outros filmes. O primeiro é o clássico "The Blues Brothers" de 1980, com John Belushi e Dan Aykroyd, onde na cena final, a canção Jailhouse Rock é executada em uma prisão. A outra é no filme de 1990 chamado "Cry-Baby" com Johnny Depp, em uma outra cena no interior de um presídio, Depp interpreta uma canção que claramente é uma homenagem à tão famosa cena do filme de Elvis.
A interpretação de Elvis neste filme é nitidamente superior ao seu filme anterior e sua evolução como ator é patente. Elvis está mais relaxado, natural e consequentemente mais acostumado com as câmeras, garantindo um desempenho mais verossímil.







VEJA PARTE DO FÍLME, QUE MOSTRA A FAMOSA CENA DA PRISÃO.






segunda-feira, 15 de novembro de 2010

PATSY CLINE



Patsy Cline, (8 de setembro de 1932 – 5 de março de 1963) foi uma cantora norte-americana de música country. 

Batizada Virginia Patterson Hensley, nasceu em Winchester, Virginia, Estados Unidos, e assinou seu primeiro contrato como cantora country em 1953 e, apesar de sua vida curta, tornaria-se uma das intérpretes mais influentes da história da música popular norte-americana. 

Seu primeiro sucesso foi "Walkin' After Midnight" (1957), escrito por Don Hecht e Alan Block. Embora tenha começado a carreira gravando rockabilly, era evidente que sua voz combinava mais com os sucessos pop/country. Outros de seus sucessos foram "Crazy", "She's Got You" e "I Fall To Pieces". 

Cline morreu em um acidente de avião em Camden, Tennessee, aos 30 anos, em 1963. No avião com ela estavam outras figuras conhecidas do country na época, Hawkshaw Hawkins, Randy Hughes e Cowboy Copas. Hughes, então amante e empresário de Cline, era o piloto do avião. Ela foi sepultada no cemitério Shenendoah Memorial Park em sua cidade natal de Winchester, Virginia.



Assista aqui algumas partes do filme " SWEET DREAMS " , que retrata a vida de PATSY CLINE, nas maravilhosas interpretações de Jéssica Lange e Ed Harris









Assistam nesse video,  a autêntica PATSY CLINE, interpretando uma das músicas mais linda e romântica dos "BONS TEMPOS"



domingo, 14 de novembro de 2010

JOVEM GUARDA

Leno e Lílian era uma dupla de cantores que começou a se apresentar nos anos 60 no programa Jovem Guarda. Era formada por Gileno Osório Wanderley de Azevedo (Natal, RN, 1949) e Sílvia Lília Barrie Knapp (Rio de Janeiro, RJ, 1948).

Em 1966, a dupla lançou o primeiro disco, com as canções "Pobre Menina" e "Devolva-me".

O primeiro LP, gravado logo em seguida, incluía essas duas primeiras músicas e ainda "Eu Não Sabia Que Você Existia", outro sucesso.

Já em 1968 com uma separação da dupla, Leno seguiu carreira solo e gravou alguns discos com relativo êxito.

Em 1972 eles voltam a se apresentar juntos.

Nos anos 80, Lílian desenvolveu uma carreira solo, tendo um grande sucesso: a canção "Sou Rebelde". Nesta época, numa tentativa de se manter em evidência, Lílian posa nua para uma edição especial da revista Homem, da Idéia Editorial.

Nos anos 90, Leno e Lílian participaram de shows comemorativos aos 30 anos de Jovem Guarda e se apresentam juntos ou separadamente. Alguns discos da dupla e individuais de Leno foram relançados em CD.

Em 2001, Lílian volta em dose dupla: com o CD Lilian Knapp , seu primeiro álbum desde 1992, e o livro Como um Conto de Fadas (Editora Qualigraph), pequeno volume que é uma espécie de "autobiografia informal" da cantora.






Aqui um vídeo de LENO e LILIAN acompanhado por Vanessa Camargo e Leandro do KLB.


Ah, que saudades dos " BONS TEMPOS"



sexta-feira, 12 de novembro de 2010

FILME AMERICAN GRAFFITI - Loucuras de verão

Sinopse do Filme:

Quatro amigos vivem uma agitada noite de verão na década de 50. Curt (Richard Dreyfuss) e Steve (Ron Howard) acabaram de entrar em uma escola cheia de prestígio, mas o primeiro começa a ter dúvidas uma noite antes de partirem. Enquanto ele sai à procura de uma mulher de camiseta branca, Steve tenta convencer a namorada a entrarem em um relacionamento aberto enquanto ele está fora. John (Paul Le Mat) e Terry (Charlie Martin Smith) também têm uma noite maluca quando o primeiro precisa cuidar de uma garota pequena e Terry pega o carro de Steve emprestado e tem complicações com o veículo.







VEJA O TRAILER DO FILME











terça-feira, 2 de novembro de 2010

JOHNNY RIVERS


Johnny Rivers (John Henry Ramistella )
Nascido em 7 de novembro de 1942, em Nova Iorque (EUA)


Cantor, compositor, guitarrista e produtor norte-americano. Entre suas principais gravações estão "Memphis", "Secret agent man", "Poor side of town" e "Baby I need your lovin".

Ele também fundou sua própria gravadora, a Soul City Records, que lançou artistas como o grupo 5th Dimension.

Durante os anos setenta, Rivers seguiu produzindo mais sucessos de crítica, como "Rockin' pneumonia - Boogie Woogie Flu", "Help me Rhonda" (cover dos Beach Boys) e "Blue suede shoes" (cover de Carl Perkins), mas os álbuns não vendiam tão bem quanto na década de 1960. Seu último sucesso foi "Swayin' to the Music (Slow Dancing)" em 1977.

Embora sua música não venda tanto como nas décadas de 1960 e 1970, Johnny Rivers faz apresentações ao vivo até hoje - entre 50 a 60 concertos por ano. Ele vendeu mais de 25 milhões de discos em toda sua carreira e teve 9 canções no Top 10 da Billboard e 17 entre as 40 melhores.

Rivers emplacou sucessos também no Brasil. Além de "Secret agent man", "Poor side of town" e "Baby I need your lovin'", outras canções ficaram mais populares entre o público brasileiro do que nos Estados Unidos. São os casos de "It´s too ate", "You've lost that lovin' feelin', e "Do you wanna dance?", uma regravação do grupo The Righteous Brothers que não fez sucesso nas paradas norte-americanas e cuja popularidade no Brasil o próprio Johnny Rivers já admitiu estranhar.

Johnny Rivers foi o primeiro artista internacional a tocar na casa de espetáculos Canecão, no Rio de Janeiro, nos anos 70. Ele também esteve em São Paulo e fez um concerto gratuito para 60 mil pessoas no Parque do Ibirapuera, em 1998.

Discografia:

2004     Reinvention Highway
2001     Back at the Whisky
1998     Last Train to Memphis
1983     Not a Through Street
1983     Johnny Rivers [1983]
1980     Borrowed Time
1978     Outside Help
1976     Wild Night
1975     New Loves and Old Friends
1975     Help Me Rhonda
1974     Rockin' Rivers [Canadian]
1974     Road
1974     Last Boogie in Paris
1973     Blue Suede Shoes
1972     L.A. Reggae
1972     Johnny Rivers [1972]
1971     Home Grown
1970     Slim Slo Slider
1970     John Lee Hooker
1969     Touch of Gold
1968     Realization
1967     Rewind
1966     Changes
1966     And I Know You Wanna Dance
1965     Meanwhile Back at the Whiskey A-Go-Go
1965     Johnny Rivers Rocks the Folk
1965     Johnny Rivers in Action!
1965     Great Johnny Rivers
1964     Sensational Johnny Rivers
1964     Johnny Rivers at the Whiskey A-Go-Go
1964     Here We A-Go-Go Again
1964     Go Johnny, Go





domingo, 24 de outubro de 2010

domingo, 17 de outubro de 2010

De volta ao passado


Olá pessoal

Parece que foi ontem, foram vários bailes, muitas recordações, a gente curtia demais
aqueles bailinhos de garagem, aquelas noitadas curtindo Glen Miller, Ray Conniff, the
beatles, Jhonny Rivers, não ficava um sentado, e no final você sempre tinha aquela garota
para levar para casa, foram muitas amizades, muita dor de cotovelo, muito romantismo,mas
tudo se acabou, por isso recordaremos em meu blog os anos 50/60/70 com imagens,
músicas, e videos. Então apertem o cinto entrem na maquina do tempo, e bem vindo
aos bons tempos.


WILSON

Meus Bailes


É isso aí  pessoal,vivi grandes emoções com meus bailes inesquecíveis,
tanto com a WILVON SOM, como também com a CHORUS SOUND, e agradeço
imensamente a amizade e o carinho de todo o  pessoal

Valeu!!!

PARA DANÇAR

                                                           LINDY HOP


Lindy Hop é uma dança que surgiu entre 1920 e 1930, no Harlem em New York, como uma mistura de outras danças: o breakaway, o Charleston e o sapatedado. Ele é dançado ao som principalmente de swing das Big Bands. O nome "lindy hop" surgiu do primeiro vôo solo cruzando o Oceano Atlântico, realizado em 1927 por Charles Lindbergh. O feito teve tanto êxito e repercussão que Lindbergh tornou-se imediatamente herói nacional. Devido à coincidência com o surgimento dos primeiros movimentos da crazy dance, esta foi batizada de lindy (de Lindbergh) e hop (salto, pulo). E foi do lindy hop, de sua enorme riqueza coreográfica, de seus loucos passos aéreos e solos que, mais tarde, a partir dos anos 50, surgiram os mais diferentes estilos derock and roll e swing, como o jive, o rock acrobático e outras variações.