domingo, 15 de outubro de 2017

BILLY PRESTON


William Everett "Billy" Preston (9 de setembro de 1946 - 6 de junho de 2006) foi um músico soul bastante influente desde o final da década de 1950 e anos 60, colaborando com grandes nomes da indústria da música desde então, dentre eles: Nat King Cole, The Beatles, John Lennon, George Harrison, Ringo Starr, Eric Clapton, The Rolling Stones, Sammy Davis Jr., Aretha Franklin, The Jackson 5, Quincy Jones, Bob Dylan, Sly & the Family Stone, Jet e Red Hot Chili Peppers, principalmente no teclado e vocal.

Iniciou sua carreira tocando no conjunto de música gospel de Andraé Crouch e seus primeiros álbuns também foram no estilo gospel tradicional dos Estados Unidos. Uma de sua primeiras aparições deu-se num programa de televisão em 1957 ao lado do lendário Nat king cole, onde cantaram juntos a canção Blueberry Hill. Sua fama cresceu muito quando tocou um órgão no estilo gospel em Let it Be dos Beatles, em 1969. Em 1970 tocou com George Harrison no álbum All Things Must Pass. Logo depois, em 1971, novamente apareceu com George Harrison e Ringo Starr, além de vários outros gigantes do rock clássico, no Concerto para Bangladesh em Nova Iorque, um concerto beneficente onde tocou um dos seus maiores sucessos, a música de sua autoria, That's The Way God Planned It. O seu estilo então variou entre o gospel, o soul, o rhythm and blues, e o blues-rock e continuou colaborando com vários artistas além de gravar seus próprios projetos. Em 1978 fez o papel de Sgt. Pepper no filme de Robert Stigwood, Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band.

Faleceu em 6 de junho de 2006 devido a complicações renais. Encontra-se sepultado no Cemitério Inglewood Park, Los Angeles, Califórnia nos Estados Unidos.

domingo, 8 de outubro de 2017

"CHIPS " (Seriado)


CHiPs foi uma série de TV estadunidense, exibida em 6 temporadas, de 1977 a 1983. É baseada nas aventuras de dois patrulheiros rodoviários em motocicletas na Califórnia. A sigla CHiP significa California Highway Patrol, ou Polícia Rodoviária da Califórnia. As duas primeiras temporadas da série foram lançadas em DVD no Brasil.
Nas primeiras temporadas, os episódios alternavam momentos de drama e comédia, com esta segunda forma centrada nas ações do patrulheiro porto-riquenho novato Poncherello. Já Baker era o "cérebro" da dupla, não raro exibindo impaciência com o parceiro. Com o aumento da popularidade do "Ponch", além de incrementar seu cachê, Erik exigiu que seu personagem ficasse mais sério e racional. As mudanças não agradaram Wilcox, que alimentou uma rivalidade com Erik até deixar o programa antes da última temporada.

Durante a série, o ator Erik Estrada sofreu um grave acidente de moto (agosto de 1979), ficando em coma por cinco dias, quase vindo a falecer. Este episódio ajudou a trazer mais fãs para o programa, pois todos queriam conhecer o ator que quase perdera a vida. O acidente foi introduzido na história de "Ponch", mostrando cenas dele no hospital e a sua recuperação com ajuda de uma bengala.
    Chips ajudou a melhorar a imagem dos policiais em todo o mundo, pois mostrava patrulheiros corajosos, solícitos e competentes, sempre atentos ao que ocorria de errado nas estradas. Além disso, havia o lado sem a farda: "Ponch" e Baker eram amigos fora do trabalho, e sempre se divertiam juntos. A série mostrava que, apesar da vida de policial, eles viviam um mundo bem igual ao da grande maioria das pessoas, o que ajudou no sucesso.
No final dos anos 70 e início dos anos 80, Chips virou uma febre no mundo inteiro, principalmente com as crianças. Larry Wilcox veio ao Brasil e apareceu em comerciais e programas de auditório (Silvio Santos) vestido com seu uniforme de patrulheiro.

no Brasil, a série foi a primeira a utilizar o merchandising como forma secundária de rentabilidade. Antes disso, a única renda disponível era a venda da série para as emissoras interessadas. Como o sucesso da série era grande entre as crianças, a empresa de brinquedos Glasslite lançou uma série completa de brinquedos relacionados com a série, e confecções que produziam as roupas dos patrulheiros. Nos Estados Unidos, os brinquedos foram produzidos pela empresa Mego.

A série foi exibida inicialmente no Brasil pela TVS, de 1979 até 1982, depois foi para a Rede Record de 1982 até o fim do ano de 1985. Depois foi exibida na Rede Bandeirantes, em 1988. A extinta Rede Manchete exibiu os episódios por volta de 1993. Foi exibida pelo canal de TV a cabo TCM da SKY em 2005 e novamente a partir de maio de 2009 no TCM (NET canal 91).
 As motos usadas pelos patrulheiros, um dos principais atrativos do programa, eram da marca japonesa Kawasaki. Os rádios comunicadores, da marca Motorola.
 Em 1999, foi feito o longa Chips 99, com quase todo o elenco original da série, produzido pela TNT, e, exibido pela primeira vez no SBT.

domingo, 1 de outubro de 2017

DEEP PURPLE


Deep Purple é uma banda britânica de rock formada em Hertford, Hertfordshire, em 1968.Juntamente com as bandas Black Sabbath e Led Zeppelin, o Deep Purple é considerado um dos pioneiros do heavy metal e do hard rock moderno, embora alguns de seus integrantes tenham tentado não se categorizar como apenas um destes gêneros. A banda também incorporou elementos de música clássica, blues-rock e rock progressivo ao seu som. Foram listados pelo Livro Guiness dos Recordes "como a banda com o som mais alto ao vivo no mundo", e venderam mais de 100 milhões de álbuns ao redor do mundo.

A banda passou por diversas mudanças de formação, além de um hiato de oito anos (1976-84). As formações do período 1968-76 foram comumente chamadas de fases I, II, III e IV. Sua segunda formação, a mais bem-sucedida comercialmente, contou com Ian Gillan (vocal), Ritchie Blackmore (guitarra), Jon Lord (teclado), Roger Glover (baixo) e Ian Paice (bateria). Esta formação esteve em atividade de 1969 a 1973, e foi reunida de 1984 a 1989 e, brevemente, em 1993, antes que os atritos entre o guitarrista Ritchie Blackmore e os outros membros da banda se tornassem intransponíveis. A formação atual é composta por Paice, Gillan, Glover, o guitarrista Steve Morse (membro desde 1994) e o tecladista Don Airey (que entrou em 2002 após o afastamento de Jon Lord).

Ao final do show de 15 de março de 1976, em Liverpool, David Coverdale desabafa com Lord: não havia mais clima para continuar com o Deep Purple. Lord desabafa de volta: não havia mais um Deep Purple para continuar. Acabou assim, em clima de confidência, a banda criada oito anos antes e que chegou a figurar no Guinness dos recordes como a mais barulhenta do mundo. Oito meses depois, Bolin morreria de overdose no Resort Hotel de Miami, após uma apresentação. E durante oito anos o Deep Purple permaneceria fora do ar.


Em 1984, é anunciada a volta do Deep Purple com a sua formação de maior sucesso (fase II), com Gillan, Blackmore, Paice, Glover e Lord. É lançado o primeiro disco de inéditas desde 1975, chamado Perfect Strangers, que foi seguido por The House of Blue Light, de 1987. Das turnês destes dois discos, sai o ao vivo Nobody's Perfect, lançado em 1988. Em 1989, Gillan decide sair novamente da banda, e em seu lugar entra o vocalista Joe Lynn Turner, (ex-Rainbow). 


Com esta nova formação, a banda saiu em uma bem-sucedida turnê que foi muito bem elogiada pelos fãs. Embora o novo álbum com Turner, Slaves and Masters, tenha sido comercialmente fraco, a sua turnê não foi. Os shows foram marcados por performances impecavéis da banda e pela excelente presença de palco do vocalista Joe Lynn Turner. Vale lembrar que nessa turnê, o Deep Purple veio ao Brasil pela primeira vez. O set-list continha clássicos da época de Coverdale, e muitos que a banda não tocava há algum tempo.
A marca da banda sempre foi a mistura de guitarra e teclado, com riffs simples e fortes e solos vigorosos. O Deep Purple ficou na 22ª posição na lista dos "Maiores Artistas de Hard Rock" do canal de TV VH1, recebeu o título de "Lenda da Música" na premiação World Music Awards de 2008 e entrou no Hall da Fama do Rock and Roll em 2016.

domingo, 24 de setembro de 2017

MANFRED MANN

Manfred Mann foi uma banda britânica de R&B, formada por Mike Vickers, guitarra; Dave Richmond, baixo; e Paul Jones, vocal.
Os Manfred Mann originalmente classificam-se como uma banda de rhythm and blues. Foi fundada na Grã-Bretanha, em 1962, pelo próprio Manfred Mann, nascido em 21 de outubro de 1940, em Joanesburgo, África do Sul,. Com Manfred Mann (nas teclas) estava o seu amigo Mike Hugg (na bateria). O vocalista era Paul Jones (que se tornaria mais tarde num actor de sucesso). Os outros membros foram Tom McGuinness (baixo) e Mike Vickers (flauta, sax, guitarra).

O seus primeiros ‘hits’ foram "Do Wah Diddy Diddy" (um original dos Exciters) e "Pretty Flamingo". Jones saíu em 1966 e foi substituído por Mike D'Abo, mas o grupo manteve a senda de sucessos (caso raro quando ocorre mudança de vocalista) de que se salienta, em 1968 uma versão de "Mighty Quinn" de Bob Dylan. Outros temas de Dylan gravados pelo grupo foram: "Just Like A Woman" (1966) e "If You Got To Go - Go Now". Outro popular tema do grupo foi: "Ha! Ha! Said the clown", de 1967.

O nome dos Manfred Mann encontra-se associado a uma das inovações técnicas da música pop-rock: o sintetizador. No Verão de 1968, Mick Vikers (então nos Manfred Mann) estava nos estúdios de Abbey Road quando este fora equipado pela primeira vez com um "moog", e trabalhou na sua afinação para o álbum homónimo dos Beatles.


Este grupo esteve no Festival de Vilar de Mouros em 1971. O grupo separou-se em 1969. Mann e Hugg formaram então um grupo de jazz-rock, o Chapter Three, que não teve grande sucesso. O nome significava que este era o "terceiro capítulo" das formações de Manfred Mann, diferindo as duas primeiras apenas no vocalista. O grupo gravou os álbuns Chapter Three (lançado em Dezembro de 1969) e Chapter Three – volume 2 (lançado em 1970).

Em 1971, juntamente com Mick Rogers (guitarras e vocais) Chris Slade (bateria) e Colin Pattenden (baixo) Mann formou a Manfred Mann's Earth Band. A nova banda iniciou a sua actividade com uma versão de "Please Mrs Henry", mais um original de Bob Dylan, mas sem grande sucesso; seguiu-se "Living without you" (escrita por Randy Newman). O primeiro LP, com a mesma designação da banda, incluindo as duas referidas canções, só surgiu em 1972. Também de 1972 é o álbum "Glorified Magnified", que incluía nova versão de um outro êxito de Dylan: "It's All Over Now Baby Blue". No entanto, só em 1973, com o álbum "Messin’", é que a banda voltou novamente a retomar o caminho do sucesso.

Existe uma biografia muito completa das formações de Manfred Mann, "Mannerisms: The Five Phases of Manfred Mann", de Greg Russo. Os Manfred Mann's Earth Band continuam actualmente em actividade, com espectáculos ao vivo, mas nos últimos anos apenas têm sido lançadas complilações das suas gravações.
Os Manfred Mann constituíram uma das atracções do festival de Vilar de Mouros de 1971, tendo actuado na noite de 7 de Agosto. Tocaram os seguintes Temas: Dealer, Ashes To The Wind, Happy Being Me, Captain Bobby Stout e Mighty Quinn.


domingo, 17 de setembro de 2017

GRAND FUNK RAILROAD


Grand Funk Railroad (ou simplesmente Grand Funk) é uma banda de rock da década de 1970, descoberta em 1969 no Atlanta Pop Festival, que chegou a ser uma grande sensação do rock para os jovens no final dos anos 60 e começo dos anos 70.

O grupo Grand Funk Railroad nasceu em 1964, na cidade de Flint, Michigan, Estados Unidos, quando quatro amigos se juntaram para formar uma banda. Seu nome original era Jazzmasters e não tocavam jazz como o nome sugere, "mestres do Jazz", mas faziam um rock'n roll tão alto quanto seus amplificadores podiam suportar. Era formado por: Mark Farner, guitarra e vocal; Don Brewer, bateria e vocal; Craig Frost, órgão e piano e Mel Schacher, baixo elétrico.
Tocavam em clubes e escolas da cidade, até que em 1967, Terry Knight, um rapaz de 20 anos, um ano mais velho do que os músicos do "Jazzmasters", assistiu a apresentação daquela noite. Knight era mais maduro e ambicioso, um visionário que já tivera seu próprio programa na rádio local, tinha trabalhado em uma emissora em Detroit e nesta noite de 67 ele, desempregado, estava decidido a se tornar vocalista de uma banda de rock. Da reunião entre Terry Knight e Jazzmasters, nasceu o "Terry Knight & The Pack".
"The Pack" era a união dos esforçados rapazes do "Jazzmasters" com as propostas do ex disk-jockey Terry Knight. Knight fez grandes planos com Mark Farner e o restante do grupo, mas só conseguiu um tímido contrato de gravação para a etiqueta "Cameo/Parkway", do serviço local, embora já tivessem lançado artistas de peso como Chubby Cheker e Dee Dee Sharp entre outros. Na visão de Knight, o som do grupo seguia aproximadamente o estilo dos "Rolling Stones", embora sóbrios e fez sucesso na região, chegando à cidade de Detroit, que tem certa tradição em rock.

No início de 1968 o "Pack" e Knight se separam e seguem cada um seu próprio caminho. O "Pack" retorna aos shows em clubes, boates e colégios e Knight tenta carreira solo como cantor romântico, estilo Donovan, mas nenhum deles decolou. Pack e Knight se reencontram no final de 1968 e, na versão de Knight, foi Don Brewer que escreveu para ele em Detroit, solicitando novamente a sua ajuda porque os rapazes do "Pack" estariam passando fome, quase a ponto do grupo se dissolver. Aliás, já tinham perdido dois dos seus integrantes. Mas o grupo diz em sua versão que Knight, após perceber que não levava jeito mesmo como cantor, tentou arrumar emprego em rádios e gravadoras e como não conseguiu, voltou a procurar o pessoal do "Pack" em Cape Cod. É provável que as duas versões sejam a expressão da verdade, pois a esta altura, havia sobrado apenas Mark Farner e Don Brewer no Pack, e enquanto este procurava um novo baixista, Knight corria para tentar um novo e salvador contrato para o grupo.
Desta vez foram bem sucedidos. O novo baixista era um antigo amigo de Don, Mel Schacher, ex integrante da banda Question Mark & The Misterians, que fez sucesso com 96 Tears, e o contrato foi com a gravadora Capitol, por apenas seis meses. O grupo agora é um trio e tinha novo nome, Grand Funk Railroad, inspirada na estrada de ferro Grand Trunk Western, da cidade de Flint. Há quem diga que o contrato se deveu às estratégias de Knight, que envolveram a influência de conhecidos seus como a modelo Twiggy e o seu namorado Justin de Villeneuve junto aos executivos da Gravadora Apple, embora a versão oficial do grupo de que tudo se deu a partir de uma revisão de posição da Capitol, que resolvera dar uma segunda chance aos ex integrantes do antigo "Pack", que já havia gravado lá e não fora bem sucedido. Terry Knight desiste de ser cantor e agora empresaria e produz o grupo a partir de 1969, um bom ano para os novos grupos de rock.

No clima da época, os jovens norte-americanos já não acreditavam mais em seu país e nem nos seus líderes. Estavam cheios de dúvidas, medos e incertezas, como a guerra do Vietnam, que se prolongava e roubava cada vez mais as vidas dos adolescentes convocados para lutar no conflito. Foi neste ambiente que floresceu a contra-cultura que o "Grand Funk" desenvolveu, com suas letras contestadoras, pacifistas, porém, ao mesmo tempo, com um rock rebelde, inovador, harmônico e bastante agressivo para a época, transformando-se num alvo de identificação para aquela multidão de jovens esmorecidos.
Mais comerciais e mais americanos, não são mais os jovens contestadores, nem muito menos "três rostos anônimos na multidão", mas agora estrelas do show business e com seu novo empresário, Andy Cavaliere, a estrada de ferro do Grand Funk volta a seus trilhos de ouro e platina, agora com milhões de dólares e de público. E seus críticos, já menos jovens e tanto mais conservadores, agora aplaudem esta fase do grupo e passam a apreciar sua habilidade com o balanço do velho rock que ainda conseguem tirar.
Segundo a Melody Maker, Terry Knight teria comentado no fim das batalhas judiciais que acabaram empatadas para cada lado, condenados a pagar multas equivalentes um ao outro: "eles foram tolos! Poderiam ter sido clássicos, eternos, como Elvis antes do coronel Tom Parker, mas não quiseram, cismaram em ser sérios e importantes homens de negócio, transformando a banda numa empresa, em vez de serem apenas artistas e músicos e aperfeiçoar seu trabalho, por isso puseram tudo que tínhamos a perder." Religioso, o novo líder do Grand Funk, Mark Farner, o fazendeiro rock, agora com cabelos curtinhos estilo anos 1950, rebate, "a nossa base é a fé, nós acreditamos em Deus, que nos sustentou esse tempo todo, e onde vamos sempre nos apoia."

domingo, 10 de setembro de 2017

MAJORITY ONE

Majority One foi um conjunto inglês, fundado  em 1964, Kingston upon Hull, Yorkshire.  fazia um rock pop psicodélico bem melódico e se formaram em 1964 com o nome de "The Mustangs". Depois mudaram para Londres onde lançaram oito singles e foi quando resolveram também mudar o nome da banda para "The Majority One". Isto já era 1968.

No final deste mesmo ano gravaram com Barry Ryan a música"Eloise ", que foi hit de sucesso ficando entre as 10 mais tocadas na Inglaterra. O primeiro sucesso da banda propriamente foi o single "Charlotte Rose", escrito por George Alexander, do Grapefruit.
Mas, verdadeiramente, os dois grandes sucessos  comerciais, que alcançaram reconhecimento mundial, vieram em 1971 com a música "Because I Love" e "Rainbow Rockin' Chair", que fizeram muito sucesso aqui no Brasil, inclusive.


A banda era formada por: Barry Graham (vocals), Roger France (lead guitar), Rob Long (guitar), Ken Smith (bass) e Don Lill (drums). Segue o video do maior sucesso da banda aqui no Brasil .

domingo, 3 de setembro de 2017

10CC

10cc foi uma banda britânica de art rock famosa na década de 1970.

A banda era inicialmente formado por quatro músicos que já tinham composições em parceria e que gravaram juntos por cerca de três anos até assumirem o nome "10cc" em 1972.

Em 1975, a banda atingiu o seu maior sucesso com a canção I'm Not in Love além de outros hits como: Silly Love, Wall Street Shuffle e Dreadlock Holiday.

Desde 1999, Gouldman tem feito uma turnê com uma versão da banda formada por Rick Fenn, Paul Burgess, Mick Wilson, Mike Stevens e/ou Keith Hayman, com aparições ocasionais convidado por Kevin Godley. A banda lançou duas turnês nacionais no Reino Unido e Europa, tocando os sucessos do 10cc, além de composições de Gouldman que foram sucessos na voz de outros artistas.